quarta-feira, 1 de abril de 2015

Desculpem meninas, este post não tem o intuito de me odiarem...

Esta foi a minha vista ontem, toda a manhã, ao vivo e a cores. Há empregos piores.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Telvez seja por isso que o meu pai me fez crescer a ouvir os Creedence e os Beatles

O meu pai não cresceu em Portugal. Não criou até adulto qualquer ligação com as heranças de pátria como o futebol e o fado, entre outras. Para ele o futebol exige fanatismo e o fado peso e tragédia no peito. Não sendo português e vendo o pesar de tudo o que lhe chegava de sentimentos do país dos seus pais, como a palavra saudade, fez-me crescer a querer diferente. Cresci a ouvir os Creedence e os Beatles e a acreditar que o fado, destino, está nas minhas mãos e não escrito na minha sina à nascença. Não sei se o meu pai tem razão, mas ontem, num jantar com amigos numa casa de fados, entre as conversas e risadas, a fadista cantava "andas com a noite na alma" e "não queiras gostar da vida que ela não gosta de ti". E é este o "fado" que possivelmente o meu pai não me quis ver crescer como banda sonora. Talvez me queira ter visto crescer a acreditar nos Creedence que cantam:  "Someone told me long ago There's a calm before the storm, know; It's been comin' for some time. When it's over, so they say, It'll rain a sunny day, I know; Shinin' down like water". Obrigada Pai

quarta-feira, 18 de março de 2015

Só há um tipo de amor certo, o único que se chama amor. Quantos teremos a sorte de o encontrarmos? Quantos de nós já o teremos estragado, perdido, deixado escapar?

"Quando a gente quer muito uma pessoa, a gente se engana. A gente tenta encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. A gente clama ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. A gente quer, e a gente bate o pé e faz pirraça feito criança para conseguir. Mas um dia a gente percebe que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é luta é ego. Amor que rebaixa é dor. E então a gente aprende que amor que não é amor, não encaixa, não orna, não serve.
Fique com alguém que não tenha conversa mole. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não bote barreiras no que deveria ser fácil e simples. Fique com alguém que saiba o que quer e que queira agora.
Fique com alguém que te assuma. Que ande com orgulho ao seu lado. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao faxineiro da firma. Que segure a sua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fique com alguém que não se importe com os outros.
Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa.
Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você.
Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o seu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais.
Fique com alguém que te transborde. Que te faça sentir que você vai explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fique com alguém que dê sentido à todos os clichês apaixonados.
Fique com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao seu lado. Que te carregue para onde for. Que planeje com você um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal. Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolhe viver com você.
Fique com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça. Fique com alguém cujas palavras complementam suas ações.
Fique com alguém que te admire. Que te impulsiona pra frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em você. Que te ajude a transformar sonhos em realidade. Fique com alguém que acredite que você é capaz de tudo aquilo que queira.
Fique com alguém que você não precise convencer de que você vale a pena. Que não tenha dúvidas. Fique com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que é você e só você.
Fique com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes. Fique com alguém que faça não existir mais ninguém depois."

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Ficou tarde e eu sempre tive medo do escuro.





Ficou tarde. Entardecemos. Não contaste as horas. Sempre assim foste, não olhas para o relógio. Não te interessa o fim de nada, nem da luz do dia - nem gostas que te aqueça a cara, que coisa impensável para quem não se distrai do seu umbigo. Mas achas que tens tempo, sem te perguntares quando tempo ele dura. Entardecemos. Tenho saudades do sol. Ficou tarde e eu sempre tive medo do escuro.

Naquele momento pensei: sim, o amor esgota-se.


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Se ainda cá estivesses...

 Acho que a tua morte me fez ficar dividida entre o acreditar ou o render-me que o resto será sempre medíocre. Não devias ter partido e deixares-me cá. Deixaste-me cá entre pessoas na maioria mais mortas por dentro do que tu que afinal morreste mesmo.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Nesta manhã em que te levámos a enterrar...

...chovia sem descanso. Chovia revolta. Chovia copiosamente. O céu juntou-se ao derrame de lágrimas que nos causou a tua despedida. Partiste demasiado cedo. Sabes, todos escrevemos uma pequena mensagem, em local mais adequado. Todos, os que contigo dividiam a redacção, a certa altura escreveram "mau feitio" e "refilona". Mas com amor. Queria muitos mais anos para que refilasses comigo. Até já, Lurdes.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Começo a ficar aborrecida...

...com isto dos blogues. Somos todos Ronaldo e Charlie e a Pipoca Mais Doce que afinal parece que anda a plagiar esta miuda e não na cena ligeira de blogues mas num artigo da Tabu e ando aqui arreliada que há muito que não retiro grande prazer disto da blogoesfera onde já fui tão feliz.
Valha-nos a Alexandra que voltou.
E para não desistir já, vocês que passam por na blogo mais tempo que eu: quais os blogues mais fixes que andam por aí?
(por favor não me mandem para blogues de pseusomoda e cenas que tal)