quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Há pessoas que têm este poder sobre nós. Porque lho demos, com o coração vendado.

Hoje recebi um abraço daqueles que nos aconchegam os órgãos internos, que os metem no sítio. São a melhor coisa que nos podem dar.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

É mesmo tão mau como o que me tinham garantido ser.

Ataque de ansiedade. Que sensação absurda. Lembro-me de sentir suores repentinos e de ficar zonza e de me custar respirar. Eram sei lá quantos pisos de loja, com pessoas a atropelarem-se aleatoriamente enquanto entre as pancadas que me davam tentava descobrir a merda da escada que me levasse para a rua. Precisava desesperadamente de sair dali e encher os pulmões de ar frio. Antes de chegar à rua dei por mim a fincar as unhas num casaco exposto num manequim que quase me servia de equilíbrio e de estar um estranho a perguntar repetidamente: "are you ok?". no meio da multidão dei por mim sozinha, tão sozinha e deslocada, frustrada.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Valeu a pena a espera, a sério que valeu

Comecei a gostar de John Legend numa vez que o vi no programa da Oprah. Passaram uma mão cheia de anos. Desde essa altura há sempre duas músicas que não saem da playlist do telemóvel nem dos cd's do carro: a Save Room e a Ordinary People. Quando veio a Portugal a primeira vez recordo-me de ter ficado irritada por nessa altura estar fora do país. Valeu a espera.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Pessoas exemplares. Dia Mundial do AVC

Tenho tanto orgulho em ti. E acredito que vais entrar redação adentro mais cedo do que esperamos para te voltares a juntar a nós, à tua equipa.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Eu tenho amigos brilhantes, e parvos mas brilhantes. A sério.

 Luana Piovani "esbardalhou-se" ao comprido na sua revolta contra o resultado das eleições.
Um amigo meu respondeu-lhe: "Querida Luana. Como português inteiro, que é ser mistura de mil sangues feita universalidade, que foi correr mundo de mente aberta como hoje tantos ainda não têm (e não estou a dizer que sejas disso exemplo), tenho a dizer-te, em primeiro lugar, que és uma mulher bonita, pá! E, como é só isso que tenho a dizer, não estou a dizer que, por exemplo, a tua bisavó foi tão explorada pelos italianos que tu ainda hoje te chamas Piovani. Estou só a dizer que se o Brasil tivesse sido espanhol... tu eras Argentina!". 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

You go, girl!

"Desfilei na Moda Lisboa como convidada. Desfilei com o corpo que tenho, que é o meu e no qual me sinto muito bem. Qual não foi a minha perplexidade quando observo que, a propósito de uma fotografia menos feliz, sou alvo de críticas, comentários desagradáveis e uma série de mimos, próprios deste mundo das redes sociais, em que ainda nos estamos a habituar a viver.

Estes comentários foram feitos na maioria por mulheres. Mulheres, vou repetir. Mulheres que são filhas, mulheres que são mães, mulheres que ainda não perceberam que cada vez que cedem à tentação de atacar outra mulher com base nas suas características físicas, estão a enfraquecer a condição feminina, em vez de lhe dar força. Estão a cultivar as inseguranças, as desordens alimentares, a escravidão da imagem.

Sou uma mulher segura, pelo menos trabalho nesse sentido. Se este incidente fosse só sobre mim, posso garantir-vos que pouca importância lhe daria. Mas questiono-me sobre a quantidade de mulheres menos seguras, de todas as idades, mais ou menos felizes, magras, gordas, altas, baixas, que sofrem este tipo de perseguição no seu dia-a-dia. Mulheres que, ao contrário de mim, não têm uma voz que se faça ouvir… Para alguma coisa tem de servir o facto de ser figura pública. Que seja então para dar voz a um grito que sei ser de muitas que me estão a ler neste momento: CHEGA
!"