quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Fico de pé, nem que fique, de pé, sozinha,

Hoje dei por mim à porta da primeira casa onde vivi em Lisboa. Tinha 17 anos, estava sozinha, as ruas eram-me estranhas e a cidade parecia disposta a obrigar-me a desistir. Chegava a casa e ela estava vazia. Chorei noites a fio, sem ninguém com quem pudesse partilhar nem as novidades nem os medos, ninguém a dizer-me que desistir não era uma opção. Não conhecia ninguém e naquela altura não fazia amigos facilmente. Vim sozinha com sonhos no bolso e poucos meios de os concretizar. E trouxe facturas, que ainda pago em prestações. 12 anos depois, concretizei alguns sonhos e as prestações das facturas ainda não acabaram. Tive um momento estranho à porta da minha primeira casa em Lisboa, que foi a mais solitária das muitas que já tive. Desistir não foi uma opção a que me desse. Aos 29 anos, com todas as voltas que a vida deu entretanto, há uma linha comum entre a miudeca de 17 anos e a de 29: defendo de pé e com dignidade aquilo em que acredito, mesmo que muitas vezes dê por mim, de pé, sozinha. E apenas para isto o passado me serve, para quando a vida me empurra para o chão olhar para trás e saber que me sei levantar. Fico de pé. 

18 comentários:

Camila disse...

É verdade, o passado ás vezes faz-nos sofrer mas também nos ensina que conseguimos ultrapassar as coisas e seguir em frente*

Pedro disse...

Eu não gosto de passar por casas que já foram minhas

Anita Garcia disse...

Que dia tão mau para ler este teu post... Estou com um nó na garganta e uma lágrima a rolar pelo rosto...
Espero que fiques bem e te consigas erguer sempre que a Vida não te for simples. Até porque não há outra forma de a viver: enfrentando-a.
Beijinho*

GuessWho disse...

E vamos sempre arranjar forças e coragem não se sabe muito bem onde, mas sabemos que elas aparecem quando precisamos. És ( somos) umas lutadoras.

MisterCharmoso disse...

Enfrenta a luta com um sorriso no rosto...tens que lutar e sabes que atens aqui amigos
Visita meu blog aguardo tuas leituras no post novo e na sondagem do lado direito...

menina lamparina disse...

:*

ajoaninha disse...

É verdade, há que se manter sempre de pé. Há sempre alguma coisa que nos dá forças ***

Maria Pitufa disse...

Como tantas outras vezes... vais continuar de pé e tudo se há-de resolver!

S* disse...

Mais vale sozinha mas firme do que rodeada de pessoas mas sem bases sólidas.

Panda disse...

Meu Deus lembraste-me tanto quando cheguei a Braga, também com 17 anos, sozinha sem conhecer a cidade nem ninguém. Fiz 18 anos e passei o dia sozinha, só recebi parabéns por telefonema, chorei tanto naqueles dias =) 11 anos depois estou felicíssima ;)

O Sexo e a Idade disse...

É bom quando olhar para trás nos mostra o caminho para a frente; é uma linha que se decidiu traçar há anos e que define quem somos e de que massa somos feitos!

karma Girls disse...

houve partes do texto em que identifiquei plenamente e partilhei! ainda por cima hoje que tudo acontece e em que penso será que para a semana não levo mais facadas nas costas

Satine disse...

o passado caminha sempre connosco, e acho que deve servir exatamente para nos ajudar... tantas vezes, tantas, bem mais do que as que queria do por mim também assim, a encontrar no passado a forçar para continuar de pé.

Saltos Altos Vermelhos disse...

Isso é "saber crescer" :)

Não sei que diga disse...

Só espero que não seja assim que o meu menino de 15 anos sente quanto chega a casa, o meu menino que teve que ganhar asas aos 15 porque na cidade onde moramos não há muitas opções de estudos. Não me fez nada bem vir aqui ao teu cantinho hoje, mas isto passa. Beijinho

Não sei que diga disse...

Só espero que não seja assim que o meu menino de 15 anos sente quanto chega a casa, o meu menino que teve que ganhar asas aos 15 porque na cidade onde moramos não há muitas opções de estudos. Não me fez nada bem vir aqui ao teu cantinho hoje, mas isto passa. Beijinho

Maria Oliveira disse...

Olá!
Já mudei muitas vezes de casa e já morei em várias terras, mas naquelas casas em que vivi e onde posso passar todos os dias, há algumas que me trouxeram alegrias e há uma onde os meus pais se separaram e que me causa muito sofrimento. Tento não passar lá, só mesmo quando quero fugir ao trânsito! Hoje sou uma pessoa com mais bagagem sentimental depois de todas essas étapas. Deu-me mais força!
bjinhos
O meu blogue: http://skinnygirlintights.blogspot.pt/

• w disse...

Gostei do teu blog, segui (: