terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quando eles escrevem assim... # 4

"De nada te valerá a felicidade que sentirás enquanto a observas, sorridente, volteando pela sala, levantando discretamente na tua direcção a flute de champanhe quando o teu olhar se cruzar com o dela, de nada te valerá a taquicardia que o conjunto Thierry Mugler - Jimmy Choo te causar, a vertigem do corte, a elegância do stiletto, de nada te valerá a graciosidade do cruzar de pernas nem o dares-te conta que ela sabe exactamente para que serve cada um daqueles copos, de nada te valerá a admiração pela elegância ganhadora com que ela abandona a mesa de poker, de nada te valerá o deslumbre com que a ouvirás falar-te de Bergman ou de Pamuk ou de Verdi.

Só saberás o quanto ela vale quando a vires sem sapatos de salto alto nem maquilhagem, com os cabelos molhados da chuva, a gritar-te aos ouvidos o quão imbecil és tu por quase a teres deixado escapar, a abanar-te pelos ombros para que te dês conta da urgência que é resgatá-la, só saberás quanto ela vale quando ela por fim te abraçar, tu ali no meio da rua sem saberes o que fazer e ela a levar-te pela mão, a ensinar-te o caminho, mais uma vez".

Pipoco Mais Salgado a decifar códigos a idiotas que ainda não se deram ao luxo de deixarem de ser miúdos para passarem a ser homens, com toda uma nova panóplia de cores por inventar.

3 comentários:

mãos & cor disse...

bem verdade,mas poucos lá chegam.axo que muitas de nos partem antes.. Pq eles n xegam lá...

S* disse...

Gosto mesmo destes textos dele.

Carlos Soares disse...

Lindo...e disse tudo!