quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Descansa Princesa... O céu tem mais um anjinho. Adeus Bia.


Foi pela Pólo Norte que conheci a Bia e soube da sua rara leucemia. Ofereci-me para fazer uma reportagem e tentar assim chamar à atenção para quem pudesse ajuda. E fiz. E houveram pessoas a ajudar. E fomos todos tornar-nos dadores de medula enquanto a Bia lutava por ficar cá. Assim que cheguei ao jardim de Cascais, o ponto de encontro, vi um anjinho saltitante de caracóis louros a correr na minha direcção. Antes de nada, antes que pudesse dizer olá, a Bia abraçou-me. Guardo o calor do abraço da Bia até hoje. E é assim que te recordarei, com a vida que me mostraste ter naquela tarde. Divertida e carinhosa a comeres o teu Calipo de morango e a derreteres o coração do fotógrafo meio durão que estava comigo. Descansa agora. E obrigada pelo abraço.

6 comentários:

Buxexinhas disse...

Lamento tanto... A Bia foi a minha motivação para chamar mais pessoas à doação de medula. Que tristeza grande saber desta notícia. Quero daqui mandar o meu abraço, pequeno perante tamanha dor, a todas vocês que estão na primeira linha. Em especial à Pólo... Que impulsionou o Mundo para a doação de medula. Beijinhos

Sónia RM disse...

:(

PT disse...

A comunicação social nestes par de dias tem noticiado alguns falecimentos. Foi um ator, uma atriz, um ex-diretor de um canal televisivo mas que tivesse visto nenhuma Bia. Não que seja menor a perda, mas não é caso de destaque ou interesse geral - diz-se.

Existiu há uns anos uma reportagem sobre pais cujos filhos diagnosticados com cancros optaram por não submeter as crianças aos agressivos tratamentos médicos como a quimioterapia e após muito se informarem apostaram na alimentação especial - o que naquela reportagem para mim fez até sentido. Mas a fé que temos na medicina convencional é grande e outras crenças de cura não estão tão bem creditadas na sociedade.

Nessa reportagem o anjinho também era feminino, louro, de caracóis, que saltitava com uma alegria fantástica. Por vezes me interrogo o que é feito dessa criança e fiquei a torcer para que corresse tudo pelo melhor. Cada mês «comprado» após um diagnóstico é uma vitória, cada ano, uma vitoria maior. Pelo que a passagem da Bia foi menor que a da maioria de nós, mas foi feita de somadas vitorias.

Ricardo disse...

Sem palavras...

A Maleta disse...

:(

Anónimo disse...

Seria antes ...houve pessoas a ajudar?

De resto, lamento muito a partida da Bia e espero que aumentem os doadores de medula.