sábado, 8 de janeiro de 2011

Sobre a morte de Carlos Castro

Não era amiga do Carlos Castro. Não almoçavamos nem jantavamos juntos. Na altura em que ele era cronista do 24horas e eu jornalista falámos muitas vezes ao telefone. Depois passou a "conhecido a quem posso ligar para confirmar isto ou aquilo" e "fonte próxima" para muitas das notícias que escrevi a partir daí. Era educado, entrava numa sala onde eu estivesse e vinha sempre dar dois beijinhos e trocar ideias. Era um senhor educado e um grande profissional. Não interessa se gostava dele. Não interessa se era ou não gay. Não interessa se o assumia publicamente ou não. Se ia às festas do croquete, se agia sempre de forma imparcial. Interessa que nenhum ser humano merece tere um fim como o que o Carlos teve.
Eram cinco da manhã, estava eu a vir de um trabalho, quando o meu telemóvel tocou. Era uma amiga que está no estrangeiro e amiga do Carlos. Disse-me que ele tinha sido assassinado pelo namorado em Nova Iorque. Na altura ainda não se sabia o pormenor da matulação. Chamemos-lhe assim, pormenor, por agora. Confesso que fiquei em choque e à espera que fosse mentira. Mudei o canal da tv para a SIC Notícias à espera das notícias das 06h00. Foi a notícia de abertura. Era verdade.
Ninguém merece morrer desta maneira, ninguém.
Enquanto não lhe podemos chamar "assassino", só nos é permitido após ser provado, o que não me parece que vá ser difícil, Renato Seabra é só "principal suspeito". Um miudeco de 21 anos que mata e mutila sexualmemente o companheiro. Conheço o Renato de vista, de desfiles, algumas festas e por ser uma cara constante na ModaLisboa. Tenhos conhecidos em comum, alguns amigos até.
Sempre tive a teoria de que estes miudecos se aproximam de pessoas como o Carlos, um gay muito mais velho com poder, conhecimentos e influência, para serem famosos. Vão às festas e acabam por conseguir que por eles sejam puxados cordelinhos. Neste caso foi o Renato que os puxou, passou o limite. Se queria ser famoso então conseguiu. Deixou todos em choque e matou friamente, com contornos demasiado horríveis para os quais não encontro um adjectivo, o homem que o estava a sustentar a vários níveis e que possivelmente gostava dele uma maneira que o Renato nem merecia. Nada, e não me venham falar de ciumes e amor, nada justifica um acto destes. E repito: ninguém merece morrer assim.
Descansa em paz Carlos.

33 comentários:

rm disse...

fiquei completamente incrédula.

Me,myself & I! disse...

Também só "caí na realidade" quando coloquei por palavras no blog...
Foi um crime sórdido!
Ninguém merece um desfecho destes...

Vera disse...

concordo pipoca,ng merece um fim assim...quando ouvi a noticia quis crer que fosse algum mal entendido...muito csi para acreditar logo...demasiado cruel para acreditar.se o rapazito é culpado q se faca justiça.

Dunyazade disse...

Olá.

Eu não te conheço nem tu me conheces a mim (espero não ofender usando o tuteio). Li a notícia e através do google soube a sua data de nascimento e o local, mas não consegui encontrar a hora exacta em que nasceu. Peço desculpa se estou a pedir algo que não devia. Eu interesso-me por astrologia. No meu blog coloquei uma análise mínima sobre o que se estava a passar astrologicamente no mapa natal de Carlos Castro. Poderás, por acaso, ter acesso à sua hora de nascimento? Perguntando a alguém que o conhecesse melhor e há mais anos? Novamente, peço desculpa se pareço fria. Não é essa a minha intenção. Apenas quero entender melhor a astrologia deste crime horrível e ajudar-me-ia imenso ter a hora correcta de nascimento de Carlos Castro.

Ninguém merece uma morte daquelas. Ninguém.

C. disse...

Ninguém merece mesmo :/

Anónimo disse...

o Carlos só anda com miúdos também por que quer

Petra Pink disse...

Como ja tinha dito em outro blog.... um acto digno de um psicopata....
Mas psicopata com P grande! porra!

Maria disse...

Concordo! Ninguém merece, mesmo..

Lita disse...

estou arrepiada. não sabia. que coisa insana. sem palavras à altura.

Dani disse...

Se matar já é suficientemente mau, o 'pormenor' então foi demasiado chocante. É desumano.

Vera disse...

Concordo com as tuas palavras.
Enfim!
Bj

rosaamarela disse...

Ninguem merece uma morte violenta! nenhum jovem de 20 anos merece ter um crescimento violento...parece-me que falta alguma parte do texto no post ou estarei enganada !?

Fashion Victim Portugal disse...

Ninguém merece mesmo... Continuo chocado...

Rafa disse...

Este é um assunto que sem dúvida levanta discussão. Soube ontem de manhã e coloquei no status do meu Facebook o quanto tinha ficado chocada com a morte dele e a forma como foi encontrado.
Sei que tive quase 40 comentários de amigos e conhecidos que discutiram entre si o valor que ele teve para a sociedade portuguesa, sobre os contornos macabros da morte, sobre o rapazote, sobre as circunstâncias que o levaram a Nova Iorque.
Entre fãs e pessoas pouco apreciadoras do Carlos Castro, numa coisa todos concordámos: ninguém absolutamente merece morrer assim. Eu ficaria chocada com uma morte daquelas, quer fosse o Bush quer fosse o Mandela a ser encontrado assim.
Portanto, o meu desejo agora é que aquele miúdo saia do hospital psiquiátrico e seja submetido a um longo interrogatório e admita o que fez.
Mas irá ser extremamente frustrante se determinarem que o puto afinal estava "fora de si", apelarem à loucura temporária e apanhe só 3 ou 4 anos, porque afinal tem problemas mentais e não sabe o que faz.
Tipo Edward Norton, n'A raiz do Medo.

ML disse...

Tal e qual. É exactamente isso que escreveste: digam o que disserem, seja quem for, ninguém merece morrer assim.

NiNGUÉM!

Ruca! disse...

foi uma morte feia e talvez não merecesse, mas gostava de ouvir a versão do rapazola. porque já se sabe que depois de mortos são todos uma jóia de pessoa, praticamente uns santos.

Anónimo disse...

Está tudo estarrecido (os média ai os média) mas ainda não houvi ninguem perguntar " o que é que um miudo de Cantanhede com 21 anos fazia num 34º de um Hotel de Luxo em NY, acompanhado com um homem de 65 anos ? "

BlueAngel disse...

Concordo e não retiro uma vírgula: ninguém merece morrer assim. foi o que também escrevi.

Anónimo disse...

Muito podia eu escrever sobre isto. Portanto vou por pontos:
1:ninguém merece um acto destes, seja bom ou seja má pessoa:
2:depois de mortos todos são uns amores;
3:ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO SOMOS TODOS INOCENTES:
4: mutilação sexual não ocorre em todos os crimes passionais,
5: um senhor de 65 anos e um miudo de 21???
Eu não sou homofóbica, faria o mesmo comentário quer fosse um senhor de 65 anos e uma miuda de 21ou vice versa!
Telma Santos (n tenho blog)

Mr. F disse...

O sr. Carlos Castrado não era nenhum santo certamente, estou certo de que há culpas de ambas as partes, do sr. Carlos por querer papar o miúdo, e do miúdo por ter deixado chegar àquele ponto e ter resolvido as coisas do moto que fez. Há de ficar preso perpetuamente e orgãos sexuais masculinos não lhe faltaram para brincar...
Mr.F

DM disse...

É estranho porque vejo as coisas de forma diferente. Para mim (que não conhecia o Carlos Castro) ele era apenas um velho que manipulava os miúdos mais novos e lhes prometia mundos e fundos em troca de sexo. Você vê a questão como o Renato (que esse sim, eu já conhecia e duvido que fosse homossexual) é que andava a viver às custas do Carlos. Eu vejo a questão como o Carlos que gosta de apanhar a "carne fresca" que surge no mundo da moda e livrar-se dela como quem se livra de um farrapo velho, quando surge alguém novo e mais interessante.

Com isto não estou a defender o que o Renato alegadamente fez, aliás, acho que qualquer ser humano mentalmente são não pode aplaudir a morte de outro ser humano. Só me irrita esta mania portuguesa de tecer grandes elogios a tudo o que morre. Até podia ser um verdadeiro filho da p*** em vida, quando morre passa a ser uma excelente pessoa que vai deixar saudade. Enfim!

Pintas disse...

fiquei chocada com esta história :(
que descanse em paz!

g. disse...

DM creio que ninguém aqui está a fazer elogios ao Carlos Castro, ninguém aqui disse que ele era um homem espectacular, isto ou aquilo, esses elogios ficam para os amigos e os amigos, não conheço o CC mas conheço amigos e amigas dele que sabem bem a pessoa que é, certamente que não irão dizer que ele era um santo.

a questão aqui está na brutalidade da morte, como se disse ninguém merece morrer assim.

se o Carlos era um grande panasca que só queria carne fresca os "meninos" [que já não são meninos] que lá vão sabem bem ao que vão e vão com todos os interesses e mais alguns. o jovem de 21 anos não é inocente mesmo sendo de Cantanhede, o jovem de 21 anos não é analfabeto, tem quase uma licenciatura e teve certamente uma boa educação, tem um corpinho e um palminho de cara e até ficou nos 6 lugares da final de um concurso de moda, estando ligado ao mundo da moda sabe bem o antro que aquilo é e sabia bem que para ser ainda mais tinha de ter os "amigos" certos nos lugares certos mesmo que fossem gays.

toda a gente sabe que uma relação amorosa de pessoa de 65 e outra de 21 não é muito normal seja o homem mais velho ou a mulher. se não acredito que haja amor e paixão entre um casal heterosexual com essa diferença de idade muito menos acredito que o haja num casal homosexual ainda mais no mio social onde eles polulam.

resumindo e baralhando o rapazinho quando começou a andar com o CC sabia bem para que é que ele o queria e se as condições do CC eram só troca de favores "se fores meu amante lanço-te no mundo da moda" e não era isso que ele queria então não se metia na toca do leão.

como foi noticiado "disse à polícia que o agrediu no sexo com um saca-rolhas para o livrar do demónio da homosexualidade" isto é hediondo.

mas quem é este Renato para fazer uma coisa destas??? um deus? um todo-poderoso que mata um ser humano e o mutila sexualmente para que ele deixe de ser homosexual???

perdoaria ao Renato se ele para defender um irmão ou um filho o tivesse feito a um pedófilo, a um violador agora assim não, não perdo independentemente das razões que apresente.

tenho pena dele, pois nem imagina o que lhe vai acontecer numa prisão norte-americana, se não for pena de morte é perpétua, fora o que os outros lhe irão fazer... esses sim, estão ainda mais ávidos por 'carne fresca'.

para bem dele e se tivesse sido esperto tinha-se suicidado logo de seguida com a mesma coragem com que mutilou o outro devia ter-se suicidado e não apenas uns arranhões nos pulsos.

a única pessoa que tenho pena é da mãe dele essa sim é a única que sofre com tudo isto.

N disse...

A quem veio defender o Renatinho, sendo que não o estou a atacar: só se prostitui quem quer.

DM disse...

g.

Qual é o problema de ser de Cantanhede? Esta gente dos "grandes centros" tem esta mania irritante de achar que só Lisboa e Porto é que são Portugal e o resto é paisagem... Enfim, eu sou de Cantanhede e considero-me uma pessoa relativamente literada.

Em relação ao caso, quando escrevi o último comentário não estava a par dos contornos em que o crime tinha sido cometido, nomeadamente as agressões repetidas durante uma hora, o estrangulamento e o ferimento do olho. Isso muda um pouco a minha opinião sobre o caso, ou seja, o Renato para mim deixou de ser uma pessoa que ficou famoso demasiado de repente e fez um disparate e tornou-se uma pessoa com graves perturbações mentais subclínicas (ou seja, "camufladas") que certamente não estava no seu perfeito juízo quando cometeu o crime.

De qualquer forma, sublinho aquilo que disse no último comentário: mesmo não conhecendo o Carlos Castro, com certeza que ele não era a pessoa doce e inocente que os amigos querem fazer parecer e, enquanto não me forem fornecidas outras informações, vou continuar a ser da opinião de que aquela relação era apenas uma troca de favores.

laulitoca disse...

Fiquei chocada com a noticia!!!!!!!!!!Mas será que ele não sabia que o sr. carlos castrera gay!!!!!!!!QUE SE IA ESPECULAR SOBRE ISSO..........

Anónimo disse...

Eu no Fundo...........acho que o renato seabra não estava em si.........para fazer o que fez!

lalau disse...

mas..agora vai ter de pagar pelo que fez.....não há a menor duvida sobre isso........

lalau disse...

Só mm.o próprio renato para contar realmente o que se passou...........pq algo se passou de grave.para ele perder assim a cabeça não?

Anónimo disse...

Numa terra do faz de conta assim façamos:
Imaginemo-nos jovens com força e gosto de viver. De conquista em conquista atingindo objectivos tentados,trabalhados, sofridos, tudo indo na crista da onda. Aos senãos ponderamos à jovem *bem eu aguento-me, eu consigo*, e lá vamos entrando nalguma engrenagem seja ela qual for.
De repente descubro estar seroposito, ou poder vir a estar porque descobri que o meu "padrinho" estava.
Desmorona-se tudo .... Cai o pano. Desce a ficha.
Num país de "cunhas ,padrinhos. .. o imprevisto é sempre possível. Todos os "favorzinhos" têm preço.

Imagine que é confrontado por alguém com "ou isto ou aquilo, decide" seringa na mão ....
O que fazemos .... O que faríamos ...
Na terra do faz de conta no bom e no mau é tudo tão fácil.

Como é que alguém no seu perfeito juízo abdica dos seus sonhos, do mundo dos seus afectos, da sua propria vida, da liberade, comentendo um crime (se é que cometeu, dizem confessou .. não sei) conhecendo que há consequências ... e que vida vai acabar ali. Só assim posso entender os suicidas, se é que tenho o direito a julgar que entendo alguma coisa.

Realmente, no silêncio da nossa imaginação tudo pode ser inventado, reinventado ... mas a verdade e o contexto dessa mesma não o sabemos.
Portanto,creio não podermos ter avaliação terrena alguma relevante sobre o que talvez só superficialmente sabemos.
.
E a morte é a única certeza que temos desde o primeiro respirar.
Para mim prefiro encará-la como "Ir ver as estrelas mais de perto e o sol com outras cores".
Claro a forma como morremos é, creio, importante principalmente para os que gostam de nós.

Como católica matando alguém viola-se um mandamento e ignoro qual a pena espiritual e sua dimensão para esse facto mas imagino que não deve ser nada de agradável nem leve.
Mas não se faça julgamentos, condenações apressadas e na praça pública quando não se têm os contextos e factos perante nós.
Mas interiormente Choro pelas crianças que são mortas sem se poderem defender e que ainda nem tempo tiveram para pecar,
Choro pelos seres humanos que vivem nas garras da violência doméstica alguns até serem assassinados;
Choro pelos nosso velhos que no fim de uma vida de trabalho recebem a solidão, isolamento, saudade, privação do essencial na maioria das vezes, sem poder de luta, "não vimos manifestaçoes da brigada do reumático" pois não podem; e com as suas parcas pensões vão reivindicar o quê e onde; quem os ouve?

Uma nação como eu gostaria existe na terra do faz de conta : Uma nação que brilhasse na dignidade como trata as crianças, os doentes e os seus velhos.
Enquanto tivermos crianças mal tratadas, velhos ignorados, subtraídos aos nossos olhos, teremos uma nação longe da Terra do faz de conta.

Muita paz e luz para todos os que partiram deste mundo
e coragem para os que os amaram. Pensem deve ser apenas um breve intervalo Eu quero crer que em breve todos nos encontraremos.

E sempre sempre um pensamento de amor para com os mais fracos e um entendimento mais alargado não sabemos tudo nem dos outros nem de nós mesmos.A anátema faz mal ao fígado.

Um abraço fraterno para os que sofrem e
para os injustiçados que a dor da infâmia não tolde os vossos olhos interiores, roubando o que não pode ser roubado - A Verdade -.

Padre Américo dizia: Não há homens maus Nós é que os fazemos".
Jesus na cruz pediu: "Pai perdoa Eles não sabem o que fazem".

Xara disse...

Numa terra do faz de conta assim façamos:
Imaginemo-nos jovens com força e gosto de viver. De conquista em conquista atingindo objectivos tentados,trabalhados, sofridos, tudo indo na crista da onda. Aos senãos ponderamos à jovem *bem eu aguento-me, eu consigo*, e lá vamos entrando nalguma engrenagem seja ela qual for.
De repente descubro estar seroposito, ou poder vir a estar porque descobri que o meu "padrinho" estava.
Desmorona-se tudo .... Cai o pano. Desce a ficha.
Num país de "cunhas ,padrinhos. .. o imprevisto é sempre possível. Todos os "favorzinhos" têm preço.

Imagine que é confrontado por alguém com "ou isto ou aquilo, decide" seringa na mão ....
O que fazemos .... O que faríamos ...
Na terra do faz de conta no bom e no mau é tudo tão fácil.

Como é que alguém no seu perfeito juízo abdica dos seus sonhos, do mundo dos seus afectos, da sua propria vida, da liberade, comentendo um crime (se é que cometeu, dizem confessou .. não sei) conhecendo que há consequências ... e que vida vai acabar ali. Só assim posso entender os suicidas, se é que tenho o direito a julgar que entendo alguma coisa.

Realmente, no silêncio da nossa imaginação tudo pode ser inventado, reinventado ... mas a verdade e o contexto dessa mesma não o sabemos.
Portanto,creio não podermos ter avaliação terrena alguma relevante sobre o que talvez só superficialmente sabemos.
.
E a morte é a única certeza que temos desde o primeiro respirar.
Para mim prefiro encará-la como "Ir ver as estrelas mais de perto e o sol com outras cores".
Claro a forma como morremos é, creio, importante principalmente para os que gostam de nós.

Como católica matando alguém viola-se um mandamento e ignoro qual a pena espiritual e sua dimensão para esse facto mas imagino que não deve ser nada de agradável nem leve.
Mas não se faça julgamentos, condenações apressadas e na praça pública quando não se têm os contextos e factos perante nós.
Mas interiormente Choro pelas crianças que são mortas sem se poderem defender e que ainda nem tempo tiveram para pecar,
Choro pelos seres humanos que vivem nas garras da violência doméstica alguns até serem assassinados;
Choro pelos nosso velhos que no fim de uma vida de trabalho recebem a solidão, isolamento, saudade, privação do essencial na maioria das vezes, sem poder de luta, "não vimos manifestaçoes da brigada do reumático" pois não podem; e com as suas parcas pensões vão reivindicar o quê e onde; quem os ouve?

Uma nação como eu gostaria existe na terra do faz de conta : Uma nação que brilhasse na dignidade como trata as crianças, os doentes e os seus velhos.
Enquanto tivermos crianças mal tratadas, velhos ignorados, subtraídos aos nossos olhos, teremos uma nação longe da Terra do faz de conta.

Muita paz e luz para todos os que partiram deste mundo
e coragem para os que os amaram. Pensem deve ser apenas um breve intervalo Eu quero crer que em breve todos nos encontraremos.

E sempre sempre um pensamento de amor para com os mais fracos e um entendimento mais alargado não sabemos tudo nem dos outros nem de nós mesmos.A anátema faz mal ao fígado.

Um abraço fraterno para os que sofrem e
para os injustiçados que a dor da infâmia não tolde os vossos olhos interiores, roubando o que não pode ser roubado - A Verdade -.

Padre Américo dizia: Não há homens maus Nós é que os fazemos".
Jesus na cruz pediu: "Pai perdoa Eles não sabem o que fazem"

Xara disse...

Fez-se o mundo por amor
E o homem por razão
O trigo fez-se pão
A mulher fez-se Mãe
O mar fez-se também fonte de terceira vida.

Tudo aqui foi feito
Outro tanto nos resta fazer
Cobrindo-nos o misterioroso leito
da morte que nos espera ao entardecer.

Um xi
~Xara

Miguel disse...

Há pessoas que merecem mortes muito piores...

Basicamente é isso.
Sobre o caso, pois cada um tem a sua opinião, como é normal! O miudo aproveitou-se do CC e o CC aproveitou-se do miudo... Deve haver casos destes "aos pontapés", com homo e com hetero. Normalmente o resultado não é este e ninguém comenta. Neste caso, o resultado foi chocante e então as pessoas comentam... Se calhar vêem outros casos destes e não dizem nada... Enfim!

É lamentável!

Mas isto não invalida que haja pessoas que merecem muito pior que isto...