terça-feira, 5 de julho de 2011

Preciso aqui de uma ajuda...rapazes não se acanhem, que nós as meninas somos todas umas picuinhas nestas coisas do amor. E as meninas, que pensam?

Diferença entre dizer "adoro-te" e "amo-te". Eu acho que há diferença, não são exactamente sinónimos. Quando se diz "amo-te" e quando se diz "adoro-te", é diferente? E o que preferem ouvir? E o que de pior pode acontecer depois de se soltar a palavra "amo-te"? E o melhor? Contem-me tudo!
E algum dos meus queridíssimos leitores arrisca escrever um post (a publicar aqui) sobre o tema?
Não entrem em pânico, é uma curiosidade, comichosa e que virou conversa de troca de argumentos, que tenho. 

43 comentários:

Pólo Norte disse...

Onde está o selo? Ahn?

Alexandre disse...

Posso responder?
Adorar é definitivamente muito mais leve que amar. Receber um amo-te, mesmo que seja na brincadeira é sempre mais reconfortante :-)

Ego disse...

queres mesmo que comente? poderá sair longo...

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Pólo: Depois de um texto ou comentário teu sobre esta minha coisa que faz comichão :)

Alexandre: Concordo menos na parte "brincadeira". Bjs

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Ego: Claro!!!! E aposto que vou "adorar" ou mesmo "amar" o post ou comentário. Fé em ti. Chuta!

Menino da Mamã disse...

Vou fazer um spin-off deste post no meu blog ;)

Anónimo disse...

What words..

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Menino da Mamã,
Não te livras de o comentares aqui!!!! :)

Rosa Cueca disse...

Depende.
Se nunca se disse amo-te, o adoro-te é o passo anterior, ainda se está na subida até ao amo-te.
Após o amo-te, dizer um adoro-te, se se continuar a afirmar o amor é bom sinal e igualmente uma forma de demonstrar amor.

I want to be Barbie disse...

Amar é aquela coisa que nos tira o chão, que nos faz vibrar, tremer, enlouquecer.. faz-nos ficar tontos, faz-nos sorrir, faz.nos cantarolar, faz-nos pegar fogo, faz-nos querer tudo e não desejar nada...Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que doí e não se sente , é um contentamento descontente...é julgar que se ama em se perder...Já dizia Camões há tantos anos atrás... Amor só sente por alguém mesmo especial...

Adorar é algo mais leve...Podemos adorar várias coisas, várias pessoas, podemos adorar momentos, situações, cidades, países, objectos, roupas, sapatos... Adorar é aquele sentimento que nutrimos pelo mundo, pelo outro e pela vida... Amar é mais pujante... é mais forte, é mais sincero, mais louco, puro e verdadeiro..Pois só amamos aquilo que realmente é importante...

Não sei se me fiz entender :D

cê-agá disse...

adoro te é mais fofinho. amo te é forte, mexe mais comigo. deixa me mais "ko" dependendo da pessoal que o diz :)

S* disse...

Não gosto dos Adoro-te. Não gosto. Soa-me a pouco, a muito pouco, depois de ouvir um Amo-te.

Ultima Thule disse...

"Adoro-te" é simples, irresponsável. Tão sério como uma paixão passageira. Ou talvez "banal" durante uma relação longa.

"Amo-te" é mais sério e exige responsabilidade. Creio que é com o tempo que se aprende a diferença destas duas expressões de amor.

Todos gostam de ouvir ambas as palavras. Mas a conotação do "amo-te" é, sem dúvida, mais forte. Aposto que se houvesse um estudo, esta expressão libertaria mais oxitocina que a expressão "adoro-te".

Pior que pode acontecer com um "amo-te" é o medo de enfrentar a possibilidade de uma relação séria. O melhor, é ter certeza que o amor é correspondido quando se tem um "amo-te" em retorno.

siceramente disse...

Enquanto homem tenho a dizer que quando ele diz adoro-te e não diz amo-te é porque nunca te amará!
Mas isto sou só eu e os meus amigos e somos do Sul.. Em Lisboa não sei como será!

Anónimo disse...

Tudo depende. Das circunstâncias em que é dito. Provavelmente depois de uns beijos e amassos, pode escorregar um amo-te quando na verdade não deveria sair.
Palavras leva-as o vento.
O que é que prefiro? Que seja sincero. Seja o amo-te ou o adoro-te. Um simples "gosto de ti" acompanhado de um olhar envergonhado, pode significar mais do que muitos "amo-te" melosos.
Pessoalmente, agora, ando numa onda de "apeteces-me!"

Ana disse...

Olá Pipoca!
Depende de muita coisa mas dou mais valor aos actos do que ás palavras. Acho que o amo-te banalizou-se muito e na maior parte das vezes já nem tem o significado que era suposto ter.
Gosto mais de ouvir um adoro-te do que um amo-te (não gosto muito da palavra).
Beijinhos

ana disse...

Acho que as pessoas têm um «adoro-te» como um antecedente do «amo-te». Mas penso que o significado se sabe e sente dependendo da pessoa que o diz. Eu não espero para contabilizar o número de vezes que se diz uma coisa ou outra para perceber o nível de amor que me têm.

E, só por curiosidade, já foram consultar a definição de adorar no dicionário? É mais que amar, é amar muito. Adorar está muito relacionado com os deuses, com o culto. E digo isto porque uma vez alguém me disse o tal «adoro-te» e de seguida me disse: vai ver ao dicionário o que te quero mesmo dizer.

Resumindo e concluindo, pode ser aquilo que nós quisermos, tudo depende da forma como levamos a nossa relação e a outra pessoa deverá saber o significado de todas as palavras que digamos sem pensar em hierarquizá-las. Até um «gosto de ti» pode ter um significado maior. Se nós soubermos e a outra pessoa também.

Brandie disse...

Quando se diz "amo-te" o "adoro-te" está incluído, mas quando se diz "adoro-te" pode não se amar. Eu acho graça às duas, o adoro-te é menos vulgar.

Ego disse...

Dentro de minutos lá no espaço.

Mak, o Mau disse...

Se-mân-ti-ca.

É parecida com "romântica", só que a primeira explica as coisas, a segunda tende por vezes a confundi-las.

Preocupam-me menos as palavras do que os actos. Nem toda a gente se sabe expressar da melhor maneira ou da maneira que os outros acham melhor. E muitas vezes se atribuem pesos às palavras que depois lhe conferem valores que não tinham necessariamente que ser assim.

A culpa é do inglês. O "i love you" é utilizado por eles de uma forma muito mais trivial do que o nosso "amo-te" que tem o seu pedestal e que, quando dito n vezes de embarda e todos os dias, se calhar vale tanto como um "Com licença e se faz favor".

Depois, às tantas, o "amo-te" entra na contabilidade, fazem-se balanços, tu dizes x eu digo y, estás em défice, é a crise, racionam-se para usar só em aniversários e ocasiões especiais e, de repente, é tudo menos aquilo que é suposto ser.

Perde-se muito tempo com o segundo sentido e o "acho que isto quer dizer aquilo" e às vezes a resposta está no início - SE- MÂN-TI-CA

As palavras são e serão sempre o mais fácil.

E isto dito por um cromo habituado a fazer malabarismos com elas.

EU SOU EU disse...

Não sei se vou a tempo ainda ou não, mas cá vai a minha opinião, a distância que existe entre um ADORO-TE e AMO-TE, para mim é abismal...explico mediante aquilo que penso e faço na minha vida...
Começando pelo facto que o adoro-te pode e é utilizado para descrever um sentimento para com uma pessoa, mas também para com um objecto, já o amo-te é para mim apenas e só utilizado para caracterizar um sentimento perante um ser vivo, por exemplo eu aceito que alguém ADORE o seu carro, o vestido azul curtinho, mas que também adore o seu recente amigo ou mesmo namorado, mas não aceito que se ame um carro ou um vestido por muito giros que eles sejam e/ou fiquem bem, ama-se uma pai, uma mãe, um(a) filho(a), um(a) amigo(a), um(a) namorado(a), até mesmo um animal de estimação que faz parte constante da nossa vida...
O adoro-te é uma situação temporária, uma situação que pode mediante váriados factores, no caso de ser para um ser vivo atingir outro tipo de sentimento como o AMO-TE, e em alguns casos o ODEIO-TE...
Mas quando dizemos a palavra AMO-TE, está para mim implicito as palavras PARA SEMPRE, eu pelo menos tou consciente que será para sempre, mesmo quando o relacionamento acaba, sabemos que essa pessoa/animal será para sempre lembrada pelo que significou para mim, isto após conseguirmos tirar a mágoa da perda, da separação...de dentro dos nossos pensamentos!!!

Desculpa-me se me alonguei em demasia...beijo e espero que tenha sido útil...

Joana disse...

A diferença entre um "Adoro-te" e um "Amo-te" não está na intensidade, nem na semântica. Está no momento. Um e outro têm a mesma força, podem ser muito ricos de sentido ou facilmente vazios, ao serem ditos por dizer. Tudo depende de um momento, daquele "quando". Nesses instantes, e se estivermos a falar de um puro amor, um "Adoro-te" vale tanto ou mais que um "Amo-te". A intensidade não se deixa transparecer por palavras, mas por tudo o que dá chama ao sentimento - os olhares, os silêncios, as cumplicidades, os gestos... Depende depois de cada um, sim, deixar tudo isso ganhar (ou não)forma de palavras. Mas não valerá mais um "Adoro-te" dito no momento perfeito do que um "Amo-te" proferido muitas vezes por reação em vez de por ação?

No meu caso, as nossas palavras nem precisam de ser ditas, porque há muito mais que fale por nós, pelo que somos juntos. E nem a propósito, ontem, ao olhá-lo e ao apreciá-lo em tudo o que é, que me faz ser e que me torna mais feliz a cada instante que passo a seu lado, lhe disse "Amo-te". "Não precisas de dizer, eu vejo isso em ti todos os dias. Basta seres assim, como és. Tu. E fazeres-me muito, muito, muito feliz, como nunca fui, e levares-me a querer partilhar para sempre a minha vida contigo, cada vez mais." - foi a resposta que recebi em troca. E se isto não vale mais que um simples "Amo-te", então vou ali tirar umas lições de semântica.

(Sei que o post não era bem para ser comentado por raparigas, mas não resisti a este.)

Nessa disse...

Adoro-te pode ser dito a várias pessoas, amigos, amores, familiares. Não deixando, por isso, de ser especial quando se diz q a quem o ouve.
Amo-te é mais forte e, regra geral, só dizemos a quem amamos mesmo.
Eu nunca soltei o Amo-te. Perguntaram-me sempre primeiro se eu os amava! Isso era bom, da forma como era perguntado, era sinal de que queriam que eu os amasse e que o dissesse. Por isso estava à vontade e eles também. Mas claro que isto só acontecia algum tempo depois do relacionamento.
Eu gosto quando dizem que me amam e também gosto quando dizem que me adoram, depende dos contexto em que são ditos e penso que para eles não deve ser assim tão diferente.

Manhãs de Inverno disse...

Diria apenas que o "adoro-te" sente-se na pele; o "amo-te" no coração...o "adoro-te" é um estado; o "amo-te" uma condição...

Barmaid disse...

Uma vez eu disse a uma pessoa no meio de uma conversa, que não vem agora ao caso, "mais do que te amar, eu gosto genuinamente de ti". Acho que isto foi o mais forte que senti por alguém.
E I want to be barbie, amar não é aquela coisa que nos tira o chão, que nos faz vibrar, tremer, enlouquecer.. faz-nos ficar tontos, faz-nos sorrir, faz.nos cantarolar, faz-nos pegar fogo, faz-nos querer tudo e não desejar nada. Isso é paixão. Amar é muito mais que isso.

Anónimo disse...

Eu cá gosto, muito mais do que o «adoro-te», do «eu gosto muito de ti»

O adoro-te parece-me um bocadinho feio. Assim, não sendo o sério e compromissivo amar, prefiro o gostar muito.

Bem Me Quer disse...

Tambem quero participar, mas nao sei quando posso mandar o texto.
Adoro-te. Bjnhos

Jibóia Cega disse...

Sao claramente diferentes e nao gosto de nenhuma.

Louco disse...

Acho que vale mais um "Adoro-te" sincero com um sorriso timido do que um "Amo-te" falso só para ajudar à "brincadeira nos lençois". Preocupem-se menos com a verbalização daquilo que sentem e demonstrem-no com vontade e empenho. Até porque no dicionário online da Priberam "adorar" e "amar" têm definções muito parecidas.

Miss Mags disse...

O adoro-te está para os beijinhos assim como o amo-te está para os beijos! ;)
É ver este post para perceberes melhor: http://allyouneedistrustandpixiedust.blogspot.com/2011/04/consideracoes-7.html

Eva disse...

Respondi no blog. É um assunto que já me deu muitas conversas giras, e nunca me parece conseguir chegar a nenhuma conclusão...

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Jibóia, então?

Anita disse...

Confesso que apesar de até ser uma romântica, não sou fã do Amo-te! Não sei porquê, mas o Amo-te cheira-me a morno, a hábito, a rotina, a companheirismo...eu AMO o meu filho, eu AMO a minha mãe, mas no que a paixão diz respeito, prefiro o adorar.
O Adoro-te soa-me a risos, a olhos brilhantes, a borboletas no estomago, a beijos em bicos dos pés, a mãos dadas e cabeças encostadas no ombro...
Mas o que eu gosto mesmo, mesmo, mesmo é de sentir o calor que cada uma delas me dá :D

Jibóia Cega disse...

Entao é isso. Estavas à espera de quê num natural da Terrsa dos Doudos? :D

Anónimo disse...

Concordo com muitas das coisas que aqui se disseram, mas, para mim, ouvir um adoro-te, quando a relação já vai longa faz-me sentir borboletas no estômago.
Pois se adorar é sinónimo de paixão e amar de compromisso, o que será um adoro-te senão um reavivar da paixão??

Acima de tudo, amem e adorem muito!
Silvina Santos

Anónimo disse...

Concordo com muitas das coisas que aqui se disseram, mas, para mim, ouvir um adoro-te, quando a relação já vai longa faz-me sentir borboletas no estômago.
Pois se adorar é sinónimo de paixão e amar de compromisso, o que será um adoro-te senão um reavivar da paixão??

Acima de tudo, amem e adorem muito!
Silvina Santos

Cleia disse...

Um ADORO-TE é precioso quando tudo ainda é ligeiro. Quando as borboletas se fazem sentir na barriga. Quando o coração palpita pela presença (física) do outro.

O AMO-TE é uma certeza mais absoluta. É quando parece que a alma está completa. Quando sabemos que o outro nos espera e está cá para nos confortar, mesmo quando não está fisicamente ao nosso lado.

Comigo foi assim. A paixão trouxe o ADORO-TE. O amor, consequentemente, o amo-te.
E depois de receber o AMO-TE, o ADORO-TE sabe a pouco. Muito pouco.

Ventania disse...

São palavras, e arrisco dizer sentimentos, completamente diferentes. Faz-me comichão a banalização do "amo-te" entre os miúdos de hoje, que dizem "amo-te" uns aos outros, entre amigos, sem o menor pudor. Temo que estejam a diminuir o próprio sentimento.

Se é verdade que o amor assume muitas formas (amor fraterno, amizade, por aí ora), também é verdade que ainda não conseguimos arranjar um lexema que melhor retrate O Amor, aquele Amor que nos deixa K.O., por que cometemos as maiores loucuras, que nos leva a todos os extremos e que nos apazigua de tal forma as dores e as carências que pensamos estar perante um complemento que a vida toda faltou e que, quando é encontrado, nos leva aos píncaros da felicidade. Já lhe chamei "síndrome peça no puzzle" por não saber dizer melhor. E é por este sentimento ser tão especial, tão raro quando é pleno e incondicional, que lhe temos vindo a reservar a palavra. Que, digo eu, não deve ser esbanjada. É uma palavra que só faz sentido dizer-se quase em jeito de confissão, nem sempre olhos nos olhos, até porque se diz "amo-te" sem sequer o verbalizar e o amor nunca esteve preso a barreiras físicas.

Não, não é a mesma coisa. Eu gosto muito de vinho tinto e queijo, e gosto muito da Sandra e do Miguel. Eu adoro viajar, adoro escrever e pintar, e adoro a minha avó. Mas adorar é um sugar a felicidade do momento, da companhia, duma acção, é contemplação. Adora-se um quadro, uma música, ou comer caracóis. Adora-se quando a admiração por alguém é extrema, mas só adorar não significa aquela chama do "fogo que arde sem se ver". É um problema de expressão indeed, como diriam os Clã. A palavra amor não chega para traduzir em verbo o calor que se sente na alma, todas as palavras são insuficientes e cada uma delas parece supérflua.

Dizer "adoro-te" ou dizer "amo-te" é como comparar um convite para passar um fim-de-semana fora, ou a vida toda ao lado de alguém. Ambos podem ser muito bons, mas a escala é de todo diferente. Se há ainda quem pense de outra forma, é puxar pela memória. Toda a gente se lembra da primeira vez que lhe disseram "amo-te" ou que o disseram a alguém. Alguém se lembra da primeira vez em que se soltou o "adoro-te"? Comparem os sentimentos implícitos. Ou então ao contrário. Experimentem, quando estiverem com a pessoa mais-que-tudo, abracem-n@ e digam "amo-te" ou "adoro-te" conforme o que parecer mais certo para o momento, e a seguir pensem no que aconteceu. =)

Sofia disse...

Ora manda lá vir o mail, que o texto já está escrito :)

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Sofia, está no perfil xuxu :)
pipocasaltosaltos@iol.pt

Anónimo disse...

a adoro-te é falso o amo te não é,passo a explicar nunca se pode adorar ninguem,pois incluia gostar de tudo,tudinho na pessoa adorada já o amo-te quando natural e sincera é um gosto de ti com tudo tudinho,gostar de alguém sem "egoismo", aceitar os defeitos e diferenças e compreender o outro no seu todo.
Sílvia

Giuseppe Pietrini disse...

Boa tarde. Era só p'ra dizer que não contem comigo p'ra comentar sobre este tema...

poeta_rural disse...

a meu ver penso existir uma diferença significativa. o adoro-te é fruto da paixão, daqueles primeiros meses de namoro. se uma pessoa aguenta essa fase em que tudo são rosas e chega à parte dos espinhos e ainda gosta da pessoa é sinal que a ama...e aí, justifica-se o amo-te. esta é a opinião de quem não percebe muito do assunto =P