sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Hoje abro mão de ti...

Porque te arrancaram de uma forma brutal de mim, há coisas que não tive tempo de te dizer. Não nos deram tempo para um último beijo, para dizer-mos Adeus. E durante estes anos, foi-me difícil admitir que não te tinha, que te perdi.
Vezes sem conta, nos dias em que sentia mais a tua falta, dei por mim a imaginar conversas contigo. Não, conversas não, a última conversa caso tivesse a oportunidade de te ver mais uma vez, onde te agradecia o facto de teres entrado na minha vida, de me teres mostrado o que era afinal o Amor e onde te dizia a palavra que nunca te cheguei a dizer: Amo-te
Roubaram-te de mim e levaram-me as crenças, as certezas e o sorriso. Desde que partiste que não acredito em Deus, não acredito no Destino, não acredito em Justiça e não acredito em Contos de Fadas. Roubaram-te de mim, mas não me me podem apagar a memória.
A forma violenta como deixaste a minha vida fez com que não conseguisse abrir mão de ti, de nós. Tentei manter-te para sempre em mim, mas o tempo, esse maldito, foi fazendo com que me fosse esquecendo dos pormenores mais pequenos. Não posso manter-te para sempre, eu sei.
Há momentos que passámos que estão gravados em imagem na minha cabeça, como telas pintadas. Se fechasse para sempre os olhos já amanhã, as imagens que levaria comigo seriam as dos momentos que passámos juntos. Todas as telas, todos os beijos, todo o romance.
Vou recordar-me sempre...

Da forma como nos conhecemos, digna da primeira parte de uma comédia romântica. Eu estava numa cidade estranha, pela qual me apaixonei assim que cheguei. Fui com uma amiga a um bar, onde me convenceram a ir para trás do balcão servir bebidas. Achei graça e aceitei passar lá a noite a trabalhar. Chegaste com os teus amigos e ficaste sentado na esplanada. Ficaste com um ar surpreso de me ver lá, afinal eras cliente habitual. Fitavas-me com os teus olhos grandes de um castanho mel profundo. Depois de uma quantas rodadas, toquei-te levemente na mão ao devolver-te o troco. E desatei a rir ao ouvir-te dizer "Ela tocou-me!"
Pouco depois perguntaste-me baixinho: "Vamos fugir?". Disse-te que sim. Ajudaste-me a subir para a tua moto e andámos pelo meio do nada...vagueámos pelas ruas enquanto me agarrava a ti, cada vez com mais firmeza. Quando a moto parou e te viraste para trás para me perguntares se queria voltar para o bar, roubei-te um beijo. Nunca mais nos largámos.

Não me esqueço do desenho dos meus pés quentes no capot frio do teu carro, em noites de Verão junto ao rio. Sentava-me descalça em cima do teu carro enquanto tu atiravas pedrinhas ao rio, e nas palavras que me ias dizendo, atiravas-nos a nós para um futuro longínquo. Chamava-te tonto, dizia-te que não gosto de fazer planos, mas tu, obrigavas-me a acreditar que o futuro da palavras que te saíam pela boca faziam todo o sentido. Ias olhando para mim, ma esperança de que desatasse a concordar contigo, a sonhar, e a conseguir dizer as mesmas palavras que tu. Eras rebelde, achavas que não precisávamos do resto do mundo, porque tínhamos tudo...

A forma que arranjaste para me pedires para ser tua, para namorar contigo. Levaste-me a uma praia onde nunca tinha ido, a praia da Amorosa. Escreveste amor na areia, ofereceste-me uma rosa. Não dei logo pelo trocadilho, pelo jogo de palavras. Abraçaste-me com força e ficámos a ver as ondas a rebentar na areia, enquanto enrolavas os dedos no meu cabelo. O sol já descia e fazia o mar espelhar as nossas silhuetas, os nossos silêncios, os nossos beijos.

Vou levar comigo o sabor dos teus beijos, do nosso beijo que tu garantias pode "distinguir entre um milhão" o toque quente das tuas mãos, tua respiração na minha nuca, o brilho dos teus olhos e o teu sorriso perfeito, os teus braços à volta da minha cintura e o teu abraço apertado, tão apertado... e a música, aquela nossa música...que meto a tocar cada vez que preciso de abafar o choro das saudades que tenho de ti. Nunca mais voltei aquela cidade, nunca mais fui aos sítios onde estive contigo. Falta-me a coragem. Mas um dia vou...

Na última vez que te vi senti uma coisa estranha, ainda hoje não sei explicar qual foi a sensação. Nenhum dos dois queria em embora, dizer adeus. Insistias em perguntar-me o que se passava, se estava triste e eu não te conseguia explicar. Não te queria largar, não queria que fosses para longe de mim. E quando foste senti um tremor no peito... Não te voltei a ver e pouco depois soube que te tinha perdido. Fiquei estática, não reagi, não disse nem fiz nada. Só quando percebi que não ias aparecer ao encontro no dia seguinte, sim porque eu fui para lá à tua espera, é que soube que nunca mais te ia ver. Culpei-te a ti, culpei Deus, culpei-me a mim de não te ter feito demorares-te mais tempo...

"Tens que passar à frente, seguir em frente. Tens que abrir mão desse amor para poderes ser feliz", dizem-me os amigos. Não é fácil, mas sei que têm razão. Mas como te posso esquecer se não tenho uma única má memória para recordar? Como?
Um destes dias estava a ver as nossas fotos. Há uma em Ponte de Lima, lembras-te? Aquela que tirámos perto de um pequeno altar escondido debaixo da ponte? Tínhamos um ar tão feliz que a pus numa moldura. Mas veio logo uma amiga, que sei que só quer o meu bem, reclamar que não tenho o direito de te fazer isso. "Ele não pediu para estar na tua parede, isso só te faz mal. Ele não ia querer isso. Tens que o deixar ir, tens que o deixar descansar em paz". As palavras dela magoaram-me, a quente chorei o facto de ela não conseguir perceber a magia daquela foto. Mas agora, sei que ela tem toda a razão. Não te posso manter à força na minha vida e tenho mesmo que seguir em frente. Por isso é tempo de abrir mão de ti, de te deixar ir. Faço-o agora mas prometo-te que nunca te vou esquecer, isso sei que é uma coisa que não ias querer. A nossa história não merece cair no esquecimento. E há amores eternos, mesmo que voltemos a sentir amor por outra pessoa...

38 comentários:

Anónimo disse...

Fizeste-me chorar...
Há amores que por terem sido tão intensos não se esquecem apenas ficam adormecidos...

Lua Escondida* disse...

Fogo! Está perfeito ='(


*

Sophie disse...

é mesmo verdade...não há nada pior no mundo do que perder quem se ama...

força! e q belo texto!

beijinho

Joanika disse...

Com uma lágrima aqui no olho :'(

São amores que nunca se esquecem... mas é preciso seguir em frente.

Ms. Myself disse...

é dificil abrir mão mas depois vem o dia em que tudo se torna mais fácil e então consegue-se pensar/lembrar da pessoa com um sorriso nos lábios e agradecer-lhe no intimo por ter passado pela nossa vida e por ter feito feliz mesmo que por pouco tempo...

Um gajo qualquer... disse...

LINDO!!!!!

Que um novo amor volte a entrar na tua vida e que esse se transforme e nunca desapareça...


LINDO LINDO o teu post!!!!!!


Um beijinho e tudo de muito bom para ti Pipoca...

Ana disse...

Texto perfeito, tal como esse amor que viveste!
Ao ler-te, apenas as lágrimas caiem..silenciosas...entre sorrisos de certa forma revivalistas...
Fizeste-me recordar, fizeste-me pensar!
Porque só quem já amou assim sabe o que é viver a recordar o passado!
E só quem AMA muito consegue abrir mão de alguém...

E agora o silencio das lágrimas deu lugar a um choro ranhoso...tou desgraçada!

Claudia Oliveira disse...

fizeste-me chorar

guarda essa historia de amor contigo. sempre. eu sei o que é essa dor.

beijos

disse...

Fiquei muito tocada...comovida com o que li e, acima de tudo, sem saber o que dizer, porque para certos momentos da vida, não há palavras que curem. Resta-me desejar muita muita força.

C disse...

Muito bonito o post. Mesmo.

Pipoca disse...

Já foi à uns quantos anos, mas as palavras estavam-me presas na garganta...

Cristina Silva disse...

Lindo, lindo, lindo

Sanxeri disse...

Viana do Castelo, minha querida? Sou de Viana, conheço a Amorosa e Ponte de Lima tão bem.

Há amores inesquecíveis, é verdade. Espero que um dia encontres outro igual, mas que nao seja inesquecivel. Nao tem de ser inesquecivel, se nunca tiveres de o esquecer.

Um beijo *

Vanessa* disse...

Que texto perfeitinho, Pipoca.
Acredito que, msm passado algum tempo, as palavras estivessem presas na garganta. :( Até eu fiquei com um "nozinho" na garganta.
Ainda estes dias falava com as minhas amigas sobre amores que ficam para sempre. Que eu acredito que são os primeiros grandes amores. E o facto de ficarem para sempre, idenpendentemente do que possa acontecer, não impendem que amemos outras pessoas.

Beijinho*

Fifi & L disse...

Um post perfeito e sincero...que me deixou emocionada...porque também me emociono com facilidade mas também pela certeza de que esse amor jamais pode ser apagado de tão bonito e verdadeiro!!
;) muito lindo mesmo!
Bom fim-de-semana✿fifi✿

MimiRose disse...

Ok, estou a chorar porque estou a viver o mesmo! e ainda bem que sou humana e há mais pessoas que sofrem como eu!!

Marisa disse...

Que história tão triste... nem sei bem o que dizer depois de ler isto. Podia dizer que o tempo cura tudo (o que não seria mentira) mas perderes alguém assim de um momento para o outro é algo com que não se consegue lidar com facilidade. Mesmo com o tempo.
Espero que a dor passe e que as memórias felizes fiquem.

Sara disse...

Fiquei toda arrepiada!!! Lê o post a ouvir "River Flows In You" de Yiruma...que nostalgia....
fica bem!!! bjinh

Catarina disse...

Também perdi uma pessoa muito especial, a mais parecida comigo que alguma vez conheci, diziamos que eramos o clone um do outro, tinhamos uma cumplicidade inacreditável...

Há cerca de um ano visitou-me num sonho (muito raramente me lembro do que sonho), senti que esteve mesmo comigo um bocadinho. Foi muito intenso...

Segui a minha vida mas ele está cá e vai estar sempre :-)

mimanora disse...

É a 1ª vez que aqui venho e dou com um post que para além de estar muito bem escrito me retrata!?
Há tantas parecenças que além de ter chorado me arrepiaram...
A última frase!...
Vou voltar

Cai de Costas disse...

Vai-te lixar!

Marta disse...

Ontem li este teu texto e só hoje consegui comentar...tocou-me imenso...
beijo de carinho e admiraçao pela força...pelo tua força de seguires...k calculo tenha sido mt mt mt dificil...

Joaninha disse...

Fernando Pessoa uma vez disse "O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."
Fiquei com a lagrimita no olho pendurada...o que marcou um dia marca uma vida inteira:)
Força nisso Pipoca **

Kami disse...

Por muitos anos que passem ha coisas q nunca se esquecem. E mesmo que parecam esquecidas voltam sempre a aprecer quando menos se espera. Segueem frente mas guarda isso tudo contigo. Afinal sao so boas recordaçoes. Força!

Saltos Altos Vermelhos disse...

Pipocaaaaaaaaaa! que intenso! Lindo o texto! o amor!

Lu.a disse...

Olha...não sei como comentar, não sei mesmo! Até engoli em sêco...!

afectado disse...

Conheço Ponte de Lima e a Amorosa mesmo muito bem. Na primeira vivi muitos anos, na segunda passei férias muitos anos.

Quanto ao post, um dia encontras um amor como o que descreves no post. Não forces isso, mas também não fujas disso.
E as memórias deste amor que descreveste permanecerão na mesma...

Xu disse...

Lindo...

Anónimo disse...

«Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.»
Antoine de Saint-Exupèry

Lindíssimo o texto, como te disse. Tocante. A fazer lembrar todos os amores eternos.

Flores

Mr. Z disse...

Bem....speechless!

Segredo Cor de Rosa disse...

Há histórias que perduram pela nossa vida.
Costumo dizer por vezes, que há Amores tão perfeitos e apenas devido a essa perfeição, não podem existir.
Adorei este texto. Está lindo, lindo.
Igual ao Amor que trazes no peito.
E acredita que é de uma nobreza enorme, senir o que sentes.
Transporta esse AMor em cada palavra que aqui escreveste!
um beijo enorme

Suspiro do Norte disse...

Tocaste-me o coraçao.

Infelizmente perdi de forma tragica em Seetembro a pessoa que mais amo, que mais gosto na vida, o meu irmão..

Ninguem imagina o quanto me custa levantar, o quanto me custa levar o dia-a-dia, muitas vezes de sorriso nos labios.. Mas faço o por ele e essencialmente pelos meus pais, que vejo morrerem de tristeza a cada dia que passa.

Ele era lindo.. mesmo mesmo especial..

Resta-me o consolo de sempre termos partilhado palavras de carinho e amor.. De sempre lhe ter dito, e de ser publico que ele era a pessoa mais importante na minha vida e saber que era a dele.. sempre o dissemos e toda a gente o sabia.. E isso hoje alivia-me a alma. Disse que o amava, a ele, meu irmão. Em vida..

Recorda sempre essa pessoa..Olha as vezes que te apetecer para essa foto.. Da lhe a importancia que sentires e que te apetecer..As pessoas n vêm cá por acaso e n é à toa que deixam marcas..

Muita força querida

pfa disse...

Só hoje descobri este post. Não consigo sequer imaginar como possa ter sido perder um amor no seu auge. Mas ele fez parte de ti, e outros momentos mágicos como esses virão. A vida é feita desses momentos, e tens de deixar a vida acontecer! Quem tem esta beleza no olhar e no sentimento encontrará sempre felicidade.

gimbras.nofuturo.com disse...

É tão lindo quanto triste.
Lamento profundamente, muito sinceramente. :/

fcardoso disse...

Há algum tempo que te "visito" diariamente, mas nunca tinha comentado...mas depois de ter lido isto (eu sei que já o publicaste há uns tempos mas só hoje dei com ele), fiquei com um aperto no peito e com uma vontade enorme de chorar.
Perder alguém que se ama, dói muito mesmo. Perdi o meu pai há pouco mais de 2 anos e ainda hoje bate a saudade e me dá um aperto na garganta porque não lhe consegui dizer o quanto gostava dele quando o podia fazer.
Fizeste-me pensar que às vezes a palavra "amo-te" faz toda a diferença...
De facto não podemos esquecer quem amamos nem apagá-los da nossa memória. Temos sim, de nos agarrar a todos os momentos bons que passámos em conjunto e ir buscar forças não sei muito bem onde para continuar. Porque ficamos cá com um propósito: o de continuar as nossas vidas e fazer tudo para sermos felizes.

Um grande beijinho
fcardoso

Margarida disse...

Puseste-me com os olhos a brilhar.
Não há nada que te possa dizer para além disto...

Jo disse...

nao me fizeste chorar, nem de lagrimas dos olhos. porque nem eu, nem ninguem, pode perceber a dimensao do que tu sentes ao escrever estas palavras. nem consigo comentar, porque enfim... nao ha nada a dizer nao é? it's all about feelings. ainda que nao presente em corpo, certamente que ele estará sempre contigo: na tua cabeça, e no teu coraçao. é muito triste, mas ao mesmo tempo muito bonito ver a forma como o descreves; é encantador esse amor. e ainda bem que nao há "partes más" para relembrar, porque assim sempre que pensares no que passou, será com um sorriso, e com saudade.

Merlia disse...

Já li este post há uns dias. Desde que o li, não há dia em que não me lembre dele.
Estando a passar uma situação sentimental peculiar, fizeste-me pensar muito. Há alturas em que devia abdicar. Há outras, como quando me lembro do que escreveste, que sinto que não o posso fazer. Que tenho de viver tudo até à exaustão e aproveitar toda a felicidade que conseguir alcançar. Porque o receio de perder dá-nos força. Obriga-nos a agir.
Obrigada pela ajuda involuntária. :)