segunda-feira, 28 de março de 2011

Talvez um dia eu aprenda

Talvez com a idade eu aprenda. Que o facto de ser meticulosa na forma como trato os outros não significa que se sintam na obrigação de me manusearem com cuidado. Que pelo facto de ter sempre a preocupação, de ao falar, não lançar uma frase crua que não possa retirar, porque as palavras são como as pedras, uma vez atiradas nada a fazer, não quer dizer que as pessoas pensem duas vezes antes de me ferirem com elas. Talvez um dia aprenda que as pessoas que me magoam nunca conseguem medir em escala os danos que me causaram e deixe de esperar menos delas. Talvez eu aprenda, com a idade ou com a vida, que posso gostar sem dar tudo em troca de nada. Talvez um dia eu aprenda. Que afinal só posso contar comigo para lamber as próprias feridas ainda que causadas por outros, outros que nunca, conscientemente magoaria. Talvez aprenda que se as palavras ferem como punhais e se os punhais me são lançados deveria reagir aos berros em vez de lágrimas solitárias. Talvez eu aprenda a mostrar que estou furiosa em vez de tentar desvalorizar as acções dos outros. Um dia. Talvez eu aprenda um dia. Que o facto de eu viver aterrorizada em magoar alguém não significa que a pessoa(as) percam tempo a pensar se me vão magoar ou não. Talvez aprenda que afinal, cabe a mim recompor-me a não à(s) pessoa(s) que me magoou(aram) e tirar daí uma lição, perceber o que significa. Talvez eu aprenda, um dia, eu, que tento sempre meter remendos nos danos que causo e limpar as lágrimas que faço cair. Um dia. Um dia aprendo.

14 comentários:

Ana disse...

Um beijinho grande*

Ana disse...

"...reagir aos berros em vez de lágrimas solitárias..." :/ Talvez esteja na hora de eu começar a berrar até ficar sem voz...

E. disse...

Não podia haver palavras melhores para descrever o estado em que me sinto hoje

Beijinho *

S* disse...

As pessoas gostam de receber mas geralmente não se importam com o dar. Isso dói.

PinkEmotions disse...

Dar sem receber, nunca gostei disso. Espero que esteja tudo bem :) Beijinhos

Raquel Fernandes disse...

Nós nunca aprendemos a não cair nas nossas armadilhas assim como na dos outros. E aí está a beleza de sermos genuinos. O dia que apredermos passamos a ser calculistas, meticulosos, cinicos. E para o bem ou para o mal... Partimos a cara mas seguramos com orgulho a bandeira de que tudo que fazemos, fazemos de forma sentida. E deixámos as coisas gratuitas para os outros que nos magoam e nos criticam. No fim do dia, sabe bem sermos nós.

Anónimo disse...

Deves esr uma pessoinha muita complicadinha!!!!!! Relaxa mulher e deixa te de dramas de diva...

Joaninha disse...

Podiam ser palavras minhas, uma por uma!!!
Amanhã é outro dia :)) beijinho graaaande**

Petra disse...

Já pensei muito nisso, e sofri também com essas coisas do dia-a-dia.
Agora afasto-me de quem me magoa constantemente.

Anónimo disse...

Aprendes? Não me parece. Vais continuar a bater com a "cornodura" na parede...
Beijos
Ass. A tua Miss

Ana disse...

Nunca aprendemos Pipoca. Há pessoas que foram talhadas para ser cuidadosas e tentarem não magoar, e simplesmente há pessoas que estão pouco se lixando...

Wendy disse...

Tenho muita pena, mas revi-me neste texto. Demasiado. Mas isto não vai lá com aprendizagens. Aliás, isto não vai lá de todo, porque é a nossa maneira de ser.
Já tentei (se calhar tu também) ser um bocadinho mais cruel, mas acabo sempre por pedir desculpa ou por voltar atrás antes de dizer ou fazer o que quer que seja.
Mas não somos nós que estamos erradas, são os outros: os que não vêem, não sentem nem aceitam aquilo que (não) fazemos por eles.

Caia disse...

Talvez...

Sofia disse...

Quando aprenderes, diz-me como se faz isso tudo... beijinho querida*