quarta-feira, 29 de junho de 2011

Só porque já li demasiados disparates sobre este assunto ...

É sempre de lamentar a perda de alguém tão jovem como o Angélico. Todos nós já perdemos alguém num acidente de viação. Ou alguém próximo de alguém. Todos os dias morrem pessoas em acidentes. E sim, é de lamentar. O que me deixa sempre furiosa, é que quando se trata de um famoso, o que inevitavelmente faz a notícia ganhar mais impacto, é ler tanto disparate e acusação. Isto para além das piadas e anedotas que os portugueses se orgulham de serem os maiores a fazer.
Acusa-se a pessoa de estar mesmo a pedi-las. Acusa-se a pessoa de matar um amigo (que entrou no carro voluntariamente e optou por usar ou não o cinto), acusa-se de ir em excesso de velocidade (e um pneu da frente rebentar a, por exemplo, 80 km hora pode resultar em despiste), acusa-se de ser irresponsável e de tudo e mais alguma coisa.
Depois dá-se muita importância à vox pop, outro facto que acho hilariante. Toda a gente é muito boa a escrever guiões. De onde vem a notícia de que o Angélico não usava cinto de segurança? Foi uma fonte oficial que o disse? Foi o comandante dos bombeiros da zona? Viram o relatório da polícia? O Angélico tinha o cinto de segurança, mas isso não o salvou.
Ah, e claro, segundo as mentes doentes que andam a opinar por aí de forma a denegrir o rapaz, foi ele que causou a morte ao amigo. Claro. Ele virou-se e disse: no meu carro ninguém usa o cinto. Está tudo doido. E num acidente com esta violência, o uso do cinto garante sair do carro vivo?
Estamos a falar de um miúdo (e não interessa se gostam ou não dele como actor ou músico) trabalhador, simpático, que ajudava financeiramente a família, sonhador, boa-onda, bem-educado mas acima de tudo estamos a falar de um ser humano. Um jovem que ao contrário de muitos dos que agora escrevem disparates sobre ele não bebia e conduzia a seguir. Aliás, não bebia de todo. Isto faz dele mais consciente que muitos dos que agora lhe chamam irresponsável.
E espero que a vocês nunca rebente um pneu do carro numa auto-estrada.

41 comentários:

Suspiro do Norte disse...

Subscrevo....

Ska disse...

Epá, desculpa lá mas tenho só um problema com o teu texto.

Ele não era nenhum miúdo. Tinha 28 anos. Nem sequer era novo o suficiente para figurar no clube dos 27 (jimi hendrix, janis joplin, kurt cobain, jim morrison, Jeremy Michael Ward). Nenhum destes era um miúdo quando morreu, pois não?

Na minha ideia, e esticando muito a corda, uma pessoa é "miúdo" até aos 21 ou qualquer coisa desse calibre.

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Ska,
Chamo miúdo por carinho, não pela idade. Aliás, eu tenho 28 anos (a mesma idade) e considero-me uma miúda.

Ska disse...

Ups... :P

laetitiasweeneyrose disse...

Este tipo de situações é sempre trágica. Na verdade ninguém merece morrer assim. :(

Gelatina de morango disse...

Não faço ideia o que é verdade e o que não é, pelo que prefiro não me pronunciar quanto a isso.
Pronuncio-me apenas para dizer que, de todos os textos que li sobre o assunto por esta blogoesfera fora, foi o teu o que mais me tocou e que mais gostei de ler.

Imensidão dos dias disse...

Concordo contigo. E também eu tenho 28 anos e considero-me uma miúda

Plim disse...

Eu não concordo totalmente. Por acaso acreditava que ele não tivesse cinto, mas pronto tinha. Não tinha alcool, nice. Não vinha de uma festa, ainda bem. Já em relação a velocidade, não acredito que fosse a 100 ou até a 120. Infelizmente os meus avós,os meus tios, e uma prima minha de seis anos, hà vinte anos, tiveram um acidente por rebentamento de um pneu, iam a 130€/140€, capotaram, a minha avó foi cuspida enquanto o carro caía numa vala (não iam numa AE) e apenas tiveram escuriações e ferimentos ligeiros. Agora dizerem que um carro daqueles ia dentro dos limites e estava naquele estado. Hum...

Enfim há fins que nunca deviam acontecer!!

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Plim,
Não sei a que velocidade ia, mas também terá a ver com a forma como se deu o despiste, como bateu, tantas coisas que interferem. Eu perdi uma prima, de 4 anos, num acidente. Não foi a velocidade, foi a forma como aconteceu. É triste e acontece demasiadas vezes.

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Ska,

:)

Miss Mags disse...

É completamente rídiculo que se diz por aí, então naquele Facebook...uma vergonha!!

Kitty * disse...

Eu assino por baixo!
Parabéns pelo belíssimo post

Ego disse...

talvez por defeito de formação nunca julgo antes de ter todas as informações. talvez pela minha vocação cristã nunca deixo de lamentar a perda humana. famoso, menos famoso, conhecido, menos conhecido, gostava da pessoa, não gostava da pessoa. o mundo já é uma valente merda (andamos é a fazer de conta que não e a tentarmos viver a vida da melhor forma) para perdermos tempo com falsos juízos.

Pensadora disse...

Finalmente alguém que aborda o assunto com sensatez!


SUBSCRITO

Ana disse...

Tristíssimo com uma vida inteira pela frente e era filho único... nem imagino o que aqueles pais estão a sofrer...
beijinhos

Satine disse...

=/ seja de que maneira tenha sido, é triste na mesma.

Joana Dias disse...

Subscrevo. é sempre mais fácil quando acontece aos outros, andam a dizer que é bem feito, que foi ele que teve a culpa, etc etc, mas se fossem alguns deles nessa situação já não era nada assim... muito gosta esta gente de mandar pedras ao ar, quando por vezes, mais tarde, levam com elas em cima...

M disse...

A maior parte das pessoas que apontam hoje o dedo ao Angélico, esquece-se que não são donas da moralidade, que não lhes compete julgar ninguém nem o que quer que seja.
Eu cá remeto-me ao silêncio. Sempre ouvi dizer que em boca fechada não entra mosca nem sai asneira. Não sei o que me espera o futuro, nem sei quais serão as consequências dos meus actos amanhã.

Descansa em paz, Angélico.*
(Leitora assídua, mas que nunca tinha comentado :p)

Andie disse...

Há quase 16 anos tive um acidente de automóvel em que morreu a minha mãe, a minha irmã mais velha, o meu irmão mais novo e onde eu quase morri. Tivemos o acidente a cerca de 70/80 Km/h. Foi uma fatalidade, um acidente de "merda", mas com consequências devastadoras. O facto de eu não ter cinto de segurança, ajudou a salvar-me a vida...e quem sabe poderia ter ajudado o resto da minha família.
Há cerca de 3 anos, o pneu do carro onde seguiam o meu pai e a minha madrasta rebentou, em plena A2 e circulavam a uns 100 Km/h. Valeu-lhes a enorme experiência de condução do meu pai, que conseguiu segurar o carro, desviar-se dos outros e imobilizar o carro na berma contra os rails.
Não há ciência exacta para se ter um acidente. Não há ciência exacta para se morrer. Basta estar-se vivo! E ao destino, por mais cruel que seja, ninguém foge!
E quem não sabe, mas valia estar quieto, calado e dedicar-se ao seu umbigo...por mais enfastiante que seja.

EU SOU EU disse...

Já deixei um comentário um pouco mais "acesso" num outro blog, por já ter vivido situações pessoais tal como a tua...não acusei o Sandro...de ser culpado de nada..não tinha e continuo a ter provas ou certezas de nada...foi uma infelicidade...um acidente claro...se ele poderia ter feito algo mais pra prevenir...talvez... não sei... mas será que algum de nós o faria... talvez...mas apenas porque não somos famosos...não temos "amigos" a emprestarem-nos carros bombas sem estarem devidamente em condições... foi uma infelicidade...mas nunca na minha vida ofendia alguém ou desejaria a sua morte.. por isso á D. Filomena e ao Sr.Milton...deixo o meu respeito e pesâmes...e se possivel um pedido de desculpa por toda a gente insensivel e mal formada que anda por este portugal e mundo...

Carol disse...

São acidentes que podem acontecer com qualquer um de nós, e independentemente de ele usar o cinto ou não (já toda a gente ouviu que ás vezes até o cinto pode levar à morte em caso de acidente), a verdade é que uma pessoa da minha idade teve uma morte estúpida, e não é por ser o Angélico, mas sim um ser humano que tinha uma vida toda pela frente, não roubou nem matou ninguém para chegar onde chegou! Fosse o Angélico ou outra pessoa qualquer é sempre triste estas coisas acontecerem! É óbvio que sendo o Angélico teve outro impacto que outra pessoa comum,era uma figura pública acarinhada por mta gente, pessoalmente não era fã dele,mas confesso que fiquei triste com a situação, e acho lamentável a quantidade de grupos que apareceram no facebook a gozar com o caso!

Anónimo disse...

é sempre de lamentar uma morte como esta. Desde que conduzo, o meu único medo é um rebentamento de um pneu. E mais, é provável que ele fosse em excesso de velocidade. Era de noite mt provávelmente não haveria praticamente ninguém na estrada, haverá mta gente a ir a 120hm/h??? eu sou a própria a dizer que provavelmente não iria... Como eu, muita gente...foi um maldito azar foi o que foi!!
infelizmente....

Anita disse...

Pipoca,
Não gosto de acusações fundadas ou infundadas, nestas alturas é o que mais se dispensa, mas também não faz o meu género fazer as pessoas virarem perfeitas só após a sua morte.
O que me deixa triste nesta história não é ser o Angélico, o Joaquim ou a Maria, o que me deixa triste é ser uma pessoa que se vai quando podia cá andar (que é tão bom, mesmo quando é mau).
Fico ainda mais triste quando uma morte trágica se torna num arraial de notícias, emissões especiais e capas de revista. É que nem o fazem por uma boa causa, a sensibilização. Fazem-no apenas porque vende!
É irrelevante debater agora os pormenores macabros do acontecimento, já não há nada a fazer (infelizmente) e acusações ou atribuições de culpa não trazem de volta quem partiu. Interessa sim usar estes casos para mostrar, para relembrar que conduzir não é uma brincadeira, que não é uma corrida num autódromo, mas um direito que acarreta muitas responsabilidades.
Já agora, eu tenho 30 e continuo a sentir-me uma miúda!

Merlia disse...

Fico feliz de haver alguém a pensar como eu. Não o conhecia de lado nenhum, mas uma morte assim de alguém tão novo faz-me imensa impressão. Fosse em que condições fosse.

Agridoce disse...

As pessoas não inventaram a história do cinto..

"O oficial de serviço ao Comando Operacional da GNR, tenente-coronel Rui Barreiros, disse à Lusa que o acidente foi causado pelo rebentamento do pneu esquerdo da frente do automóvel conduzido pelo antigo vocalista dos D’Zrt.

“O carro bateu no separador lateral e o condutor, Angélico, e outros dois ocupantes foram projectados, pelo que, em princípio, não teriam cinto de segurança”, afirmou Rui Barreiros, acrescentando que a vítima mortal foi atingida por um outro automóvel que seguia atrás."

(retirado do site do Público)


Se é verdade ou não, não sei. Como tão bem dizes, não estávamos lá para ver. Mas se não é verdade, mais grave ainda é que um oficial faça este tipo de declarações sem ter certezas. É assim que surgem boatos e rumores... É assim que, a não ser verdade, se manchou a memória de alguém.

José Piçarra disse...

Pois isso é tudo verdade. E a única coisa que deveríamos retirar desta história toda é que todo o cuidado é pouco. Mais vale não facilitar. Com cinto ou sem cinto? Com cinco. Com seguro ou sem seguro? Com seguro. Com o meu carro ou um carro "emprestado"? Com o meu carro.

E o resto é folclore, alimentado pela TV, jornais, revistas e por toda a geração que foi por eles educada.

Dexter disse...

Não interessa se o rapaz era isto ou aquilo, se ia com ou sem cinto, se tinha bebido ou não bebido... O que é de lamentar é que independentemente de tudo isso era um jovem de 28 anos (e o outro rapaz que também faleceu ainda era mais novo) que perdeu a vida cedo demais. Goste-se ou não dele, há que demonstrar respeito e pensar que um dia poderão ser vocês, os vossos pais, os vossos irmãos, os vossos filhos. Que descansem em paz.

coquinhas disse...

assino por baixo.concordo plenamente contigo e acho vergnhoso o que andam a fazer, mas isto é de gente triste que nao deve ter vida propria e precupa-se em criticar ou gozar com a desgraça das outras...é triste, mas será eternamente assim. Quanto ao Angélico que descanse em paz, quanto á família que está a vivenciar isto tudo, nem sequer tenho palavras para a dor que devem sentir :(

Anónimo disse...

Muito bom post....

Não interessa quem era... o que interessa é que deste acidente se perdeu 2 vidas e quantas não ficaram destroçadas.

Obviamente que este assunto é mais falado do que todos os outros de gente anónima... and so what?

Quem não quer não fala, não lê, não vê.

Uma coisa é certa... durante uns dias todos ou uns quantos vão pensar quando se sentarem num carro ( ao volante ou não).

Pensem que o daqui a pouco agora é futuro e 1 segundo depois é passado!

Celiaj

Anónimo disse...

Eu tenho 28 anos... considero-me uma miuda. Ainda não vivi quase nada e ainda n deixei o meu testemunho nesta terra...
O Angélico tinha a mesma idade e certamente partilhava desta opinião...
Qdo alguem na flor da idade parte é sempre de uma enorme tristeza... é uma vida que fica inacabada...

Qto aos factos do acidente isso agora n vai mudar o que aconteceu... 2 pessoas já morreram e outra está entre a vida e a morte!!! O que nos interessa agora a nós saber pormenores desta fatalidade?!?
Infelizmente as pessoas tornaram-se cada vez mais mesquinhas, mais egoistas e nem sequer pensam antes de tornar público o que acham ou deixam de achar... esquecem-se que cá ficaram os pais dele que devem estar a sofrer horrores pela perda do filho... e (espero eu) nem sequer sabem do "circo" que pessoas sem educação estão a fazer..

Que o Angélico, e não só ele, descanse em paz...

Anónimo disse...

LOL, tenho 28 e considero-me uma miúda.

Também eu tenho 28 anos e também me sinto uma miúda, mas tenho responsabilidade de mulher já há muito tempo.

Chamar miúdo a um homem de 28 anos é estranho :|

Cleia disse...

Independentemente da forma como acoteceu e das responsabilidades é trágico, é lamentável, é triste.
Ele era novo, trabalhador como tu mesma referiste e fazia questão de ajudar a família. A mãe dele, tt qto sei, perdeu família à pouco tempo e só o tinha a ele como filho o que ainda torna a situação mais dramática. Sou mãe e nem consigo imaginar a dor de perder um filho.
Mas acima de tudo, acho que fazia falta pensar que todos temos telhados de vidro, o acidente podia ser provocado por um bebado/inconsciente ou por um simples animal a atravessar-se numa autoestrada (nao seria o primeiro) e isso pode nos acontecer a qq um. Há que respeitar a perda de uma vida, de um ser humano que deixa muita saudade não só aos fãs mas acima de tudo à familia...

Foi arrepiante ouvir as palmas e as vozes de lamento qdo o corpo chegou à igreja (que é na minha rua).
Só lhe desejo que descanse em paz, e à família que consiga superar da melhor forma esta fatalidade e compensar (se é que é possivel) este vazio...

Acompanho o blog mas nunca tinha comentado. Gosto muito de ler o que aqui escreves :)

S* disse...

Tenho muito boa opinião sobre ele, mesmo não o tendo conhecido. Como escreveste, parecia boa onda e, acima de tudo, boa pessoa. Um acidente, somente isso.

Anónimo disse...

Vamos a factos :
-uso o teu blog para chegar a outros blogs- sou preguiçoso.
-Desconhecia a pessoa e ainda menos os comparsas do mesmo
-A venda de BMW'S dá dinheiro, mesmo em tempo de crise
-Boatos são algo inerente ao ser humano, e instrumento de desvio de atenções facilitado por programas sociais da net
-Quando conduzes um BMW, e não pões o cinto, nos lugares da frente, há um aviso sonoro irritante que não pára e uma luz vermelha no mostrador do condutor de falha, deduzo que seja possível desligar por mecânicos
- quem entra num carro, se tem amor à vida, põe o cinto, mesmo que o condutor não o peça
-o estado do carro não carece de muitas explicações quanto à velocidade, é claro que não cumpria o limite, mas também esse limite não salva todas as vidas
-O artista que emprestou o carro igualmente carece de atestado de inteligência, pois carro sem seguro nas mãos de alguém alheio ao stand é no mínimo digno de artista de alto gabarito

Dito isto, morreram uns...outros sobreviveram, mas principalmente uns irão prolongar a vida graças a partes do miúdo.

Saltos Altos Vermelhos disse...

Falar é fácil principalmente do alto da sua moralidade popular. Enfim...sinto muito por ele e por todos os outros que morrem cedo demais.

Cat disse...

Muito bem dito, querida!

hierra disse...

pois é mesmo issom nem respeito pela dor dos familiares têm com tanto disparate!!!!

Sexo c/ Amor? disse...

a mania do ser humano de imputar as próprias culpas nos outros. triste, mesmo. beijos, pipoquita!

Serena Martinez disse...

Quero felicitar-te por o que escreves-te aqui. Fiquei triste com muitas coisas que li em blogs e noticias sobre o Angélico e sem dúvida o que escreves-te foi o mais correcto que li até agora.
:)

*

Miss Chérie disse...

Não poderia estar mais de acordo.

A. disse...

Olá! Quanto a mim, que nunca aqui comentei apesar de ser fiel seguidora,este foi o melhor texto que li sobre o assunto.
Eu admirava o Angélico, principalmente por uma razão, surgiu-lhe uma oportunidade na vida e ele agarrou-a e soube tirar partido dela de uma forma inteligente. Acreditou num sonho e lutou por ele!Quantos tiveram as mesmas oportunidades e se deixaram ofuscar pela fama e acabaram esquecidos?
Tive muita pena e tentei perceber o acidente e ao que percebi(depois de muito ler),o facto de ele ser alto e o carro descapotável fizeram com que todo o impacto ao capotar fosse sobre a sua cabeça,daí o traumatismo cranioencefálico e as lesões na coluna.O passageiro que ia ao lado seria mais baixo daí saír ileso. Neste caso o cinto não o salvava... Quanto á velocidade...bem, o meu carro não é potente como o que ele levava, mas á noite na autoestrada, quem não abusa nem que seja um bocadinho? Eu abuso...

Ana C.