terça-feira, 29 de maio de 2012

Se eu pudesse mudar o mundo...


Já tomei muitos banhos de realidade nesta profissão. Confesso que já não me choco facilmente. Mas a cada vez que dou comigo no IPO e vejo crianças tão pequeninas já a lutar contra o monstro do cancro, ou a cada vez que vou à Ajuda de Berço e vejo bebés e criancinhas, que por qualquer motivo, estão ali em vez de estarem num lar rodeados de família, fico devastada. Aguento tudo sem pestanejar menos quando se trata de crianças. Fico com um nó no estômago durante dias. Queria abraça-las a todas e levá-las para casa.

4 comentários:

S* disse...

Deve ser uma dor de alma...

Timido disse...

Dói...
Não me custa ver mortos, nem feridos, nem pessoas a sangrar do nariz, mas esse é o motivo pelo qual eu nunca poderia ser médico, nem enfermeiro, nem nada que se pareça...

Quem tem estômago para tal são Heróis... e o "H" não foi engano...
Dói, tem que doer... apesar de tudo somos todos humanos, mas há que ter coragem para ajudar nestas situações, porque senão houver aquele apoio, aquela palavra amiga está mesmo tudo perdido...

Palco do tempo disse...

bem deve ser desolador presenciar coisas assim :(

Quase nos "entas" disse...

realmente....acho que é de todas as dores..as piores do mundo mesmo.