quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A vida é uma treta, a morte é uma treta e Deus uma fraude

Ontem fui ao funeral de uma criança que faria sete anos para a semana. Saudável e cheio de vida, sempre com um sorriso travesso mas um olhar carinhoso. Curioso, ternurento, educado. Vómitos e febre, sintomas de vírus e indisposições vulgares nos miúdos. Entrou no hospital e já não saiu. Morreu em horas, apenas horas. Leucemia, uma variante tão rara quanto galopante. Horas, apenas horas.
As crianças de sete anos não deviam morrer. As crianças não deviam morrer em idade nenhuma. Os pais não deveriam enterrar filhos. Deus não existe. A existir, caso eu esteja errada, é um filho-da-mãe com um sentido de humor demasiado negro, um monstro cruel. Sentadinho a puxar cordéis de vida e morte como se estivesse a jogar um jogo de tabuleiro. A existir é assim que ele está, sentadinho a puxar cordéis. A vida é demasiado frágil, a morte é um treta.
E o que é que, num abraço, se diz a um pai que perde um filho de uma maneira tão abrupta? Nada, não se diz nada. Não consegui dizer nada. Abracei-o apenas, com força. A vida é uma treta. Madrasta. Dá e tira, sem regras.
Aproveitem ao máximo. Digam "amo-te" sempre que o sentirem, não percam tempo com merdas, nem com quem não são efectivamente felizes. Entreguem-se a quem gostas ser reservas, capas ou receios. Não se impeçam de viver emoções, amores, paixões. Persigam e concretizem sonhos e partilhem emoções com quem gostam. Desfrutem das pessoas em vez do dinheiro, carros e casas. É que não sabemos mesmo quanto tempo cá estamos. E é por isso, até porque já lidei com a morte demasiadas vezes, que faço questão de dizer "amo-te" e não passo a presença, abraços e som das gargalhadas das "minhas pessoas". É o que levamos, só o que levamos, momentos fotografados na memória. Apenas isso.

31 comentários:

a mulher certa disse...

Deus e uma mentira. A maior de todas contada pelos homens.

Abraço.

Lebasiana disse...

pois... sempre que levamos um choque com essa realidade, lembramo-nos disso e sentimos vontade de mudar toda a nossa forma de estar na vida!

o problema é que, passado um tempo, voltamos a esquecer-nos... até nova notícia que nos acordará mais uma vez! pelo menos assim comigo acontece!

beijocas nossas

Summer Days disse...

E são, certamente, momentos como esses que nos fazem colocar tudo em causa.

Resta-nos aproveitar todos os momentos, como bem disse.

Miss Complicações disse...

WTF... Calha-te sempre estas coisas. Ohhh sina :(

Vera, a Loira disse...

Um beijo.

A. disse...

Quando li essa história na net, ontem à noite, e o comunicado que o pai fez à imprensa... tive exactamente o mesmo pensamento que tu acerda de Deus. Como é que é possível, não é? A injustiça e a crueldade na morte de uma criança que tinha toda uma vida pela frente... é impressionante.

Alexandre disse...

Excelente post!
A morte é tão chocante numa criança! Perder um filho é a pior coisa que pode acontecer aos pais de uma criança!

Lamento!
Boas palavras.

Summer disse...

Fiz um ou dois voluntariados no IPO durante a faculdade. Todos os dias vês crianças em situações semelhantes...bebés! Na altura, choca, depois esquece-se! Não te vou dizer que não me apertou o coração quando li a notícia mas o que mais me provoca esta sensação é saber que agora estou decidida a viver no limite mas em dois dias vou esquecer-me disso e voltar ao rónhónhó de sempre quando, na verdade, não tenho muito do que me queixar na vida. E tenho pena que, apesar de não ter conhecido o P., isto não me sirva de lição.
Mas vou aprender...juro que vou!

beijo* ps - oh rapariga, que azar :S

S* disse...

Isso é horrível... força a ti, aos pais, a todos os que a rodeavam.

o stressado disse...

Muito bom post! Recebi essa notícia com choque, como se os conhecesse pessoalmente. Fiquei perturbado porque sou pai. E a ideia de perde um filho, deve ser a maior das dores.

Força aos pais

Este Blogue precisa de um nome disse...

Desculpa mas Deus não é para aqui chamado. Não é Deus que mata as crianças. Desculpa, mas tinha que dizer isto.

Quanto à morte da criança, dou-te toda a razão, uma criança de 7 anos (ou de outra idade qualquer) não devia morrer. Não sei como se sobrevive a isso, nem quero imaginar. Esta semana morreu um conhecido meu deixa a mulher grávida e uma filha de 3 anos. Desportista, professor de surf, de ginástica. Estava a correr caiu para o lado e assim ficou. Perguntei-me: como se explica auma criança de 3 anos que nunca mais vai ver o pai? Pergunto agora: Como se explica a uma mãe e um pai que nunca mais vai ver o filho?

Deusa disse...

Subscrevo tudo o que escreveste... especialmente porque é uma put@ duma injustiça quando se perde uma pessoa que ainda não viveu o que podia ter vivido...
:(

Andie disse...

Não se diz mesmo nada. Nada apaga a dor, nada diminui a sensação de errado, de que está tudo ao contrário. E a um pai que enterra de uma só vez dois filhos e a mulher...acho que se diz muito menos! A vida é cruel e Deus...sei lá.

Cherry Blossom Girl disse...

Deus não é mais que o maior medo humano, Deus é a palavra na qual nos refugiamos em momentos de aflição, mas é uma farsa. É como a história do pai natal para adultos...

Pintas disse...

a vida é muito injusta....
Fiquei em choque quando li a noticia....

Lamento :(

Beijinhos

Paulo disse...

Bom dia Pipoca ^^

Adorei o post em jeito de desabafo, sobretudo da sua conclusão com mensagem directa, simples e muito bonita em termos didácticos, parabéns.

A morte já existe desde o início dos tempos, se desde as estrelas que duram biliões de anos morrem às bactérias que podem durar segundos morrem para dar o contributo à renovação do Universo sempre em expansão, por que carga de água os homens haveriam de viver para sempre?

É extremamente triste o falecimento dos filhos acontecer em vida dos pais, o desgosto é profundo e é contra-natura, porque é encargo dos filhos assistirem à morte natural dos seus pais em sua vida. Também já lidei com a morte de muita gente afastada e demasiado chegada ao sangue.

De momento, tenho um sobrinho de 8 anos internado no IPO Porto há 3 semanas porque o que parecia ser um absesso complicado, era um tumor no cérebro, metastáse do tumor linfático ora detectado. Está a passar um mau bocado com a radioterapia e quimioterapia, pesa 26kgs, está sem cabelo e não percebe porque sofre tanto para além da morfina que lhe dão. Será justo acontecer aos 8 anos isto?

Acho que não há culpa de ninguem, muito menos de Deus na mesma proporção que quando recebo boas coisas da vida não Lhe agradeço ter sido o responsavel.

Beijinho e coragem para os momentos menos bons e desejos de muita alegria para os momentos que certamente vão suceder a este *_*

kitty disse...

É muito triste ver ua criança partir sejam quais forem os motivos...
Os pais nao deviam enterrar os filhos, no é essa a ideia cronologica cert desta vida.
Mas tambem este vida passa a correr..
De minha parte apenas um sinto muito de coraçao.
Kitty

Sofia disse...

Fiquei agoniada...é por isso que eu digo todos os dias "Amo-te", à minha filha. Independentemente de Deus existir ou não.
Beijinhos,Sofia

Segredo Cor de Rosa disse...

Brutalmente macabro, é tudo o que me ocorre.
Indefinidamente triste é o que se sente perante uma coisa destas.
Um cortar a esperança que existe na vida.
Deixo-te um beijo enorme.

Pipoca dos Saltos Altos disse...

A criança em questão, só para esclarecer, não é da minha família. Era filha de uma pessoa com quem me dou bem, profissionalmente.

disse...

Li sobre o caso na comunicação social e chocou-me como se o conhecesse. É como dizes, nenhuma criança deveria morrer...é tão injustamente triste...

Saltos Altos Vermelhos disse...

Eu li nas noticias :( nem quis acreditar.

mjoaob disse...

Quando li essa notícia nem consegui dizer nada. É um choque. Será sempre. A lei natural da vida não é que um filho morra antes que um pai. E é sempre trágico qdo é alguém que nos está próximo.
É, como dizes, aproveitar e amar as 'nossas pessoas' todos os dias´. E ainda bem que tiveste um bocadinho para ir dar um abraço à familia. Pode ter sido duro mas o apoio que deste deve ter sido importante para eles.

mara disse...

Como te compreendo... Dá raiva quando dizem que Deus é que queria a pessoa ao lado dele por ser tão boa. Mas Deus perguntou à pessoa que morreu onde era mais feliz? E a quem fica no mundo sem ela? Só faz de Deus um egoísta.
E se nada tem a ver com a decisão da morte, então isso faz dele um impotente e mero observador, contrário ao que dizem, e que não ajuda as pessoas a ficarem onde querem: vivos e com os seus.

Por isso é bem melhor não acreditar do que acreditar que uma pessoa tão má possa existir...

Petra Pink disse...

oh e é tão dificil saber o que dizer, como consolar! é mesmo isso pipoca... aproveitar a vida!!!!!

Miguel disse...

Não há palavras mesmo...

Satine disse...

sabes uma coisa? tomei conta do Paulinho no verão. bastou uma noite de contacto para perceber o menino espectacular que ele é.. esteja onde estiver de certeza que estará a animar a maltinha e a falar sem parar =')

kiss kiss*

Mac disse...

(tinha deixado um comentário, mas deu erro e acho que se perdeu, dizia mais ou menos isto)

A morte de uma criança é sempre tão injusta, é como um parto ao contrário e partos ao contrário não são naturais, não fazem parte de ciclo nenhum da vida.

E quem me dera não saber do que falas, mas sei, já perdi uma criança da família e pessoas a mais para poder aceitar que Deus é justo, ou que nada tem a ver com isto, por isso só posso subscrever na integra tudo quanto escreveste. Acho que só quem passa por elas é que percebe, o resto pode entender, pode ficar sensibilizado, mas não pode saber o que é aquela dor na carne do coração.

Olha, sabes que mais? Um grande beijinho para ti :)

Sofia disse...

Coitadinho :( é mesmo muito, muito injusto. E concordo contigo, é por estas e por outras que tais que também digo que deus não existe. beijinho*

Pedro Sarmento disse...

Hoje faleceu um amigo, exactamente da mesma forma. Não tinha 7 anos teria 60 dentro de pouco tempo, mas ao ler o seu texto de facto muita pergunta sem resposta nesta vida....
E muitas das dúvidas que coloca já as coloquei a quem apregoa a palavra de Deus pelas mais diversas religiões, ( Até pensava que só havia um Deus, afinal há vários seres omnipotentes) e todos acham que Deus faz sempre o que está certo. Se eu fosse pai desse menino e alguém me disse isso de Deus, dava-lhe um tiro de imediato.

A vida são dois dias, gozem-na

Madrecita disse...

Perdoem-me...mas a vida não tem comprimento definido...dura o que dura e prontos! Não devemos sequer quem quer que seja pelo desaparecimento de quem quem quer que seja em que altura seja da vida...alguns cumprem a sua estadia aqui mais cedo...sei do que falo...também perdi um filho com 20 anos...e sabem o que digo? que fui mais feliz com o meu 20 anos do que alguns com 60/80 anos...São pontos de vista, eu sei...mas a morte é o que temos de mais certo desde que...nascemos...E por falar em injustiças...não estaremos nós(vós) também a ser injustos com Deus ao culpá-Lo destas mortes? Será que só a morte é injusta? E viver sem dignidade? E será que é Deus o culpado de tudo???????Se calhar da vida, também...