terça-feira, 23 de junho de 2009

Alguém...?

Tenho um nó no estômago, alguém sabe como se desata?

23 comentários:

Menino do mar disse...

Eu explico, já ouviste falar do nó górdio, e como foi resolvido por Alexandre, o Grande?

Pipoca disse...

Não, confesso que não... Como o desatou? Conta-me Menino do Mar...

Menino do mar disse...

Dizia-se que quem soubesse desatar o nó górdio, único do povo com o mesmo nome, os venceria. De tão intricado que era. nunca ninguém o tinha conseguido até então.
Alexandre Magno, pegou na espada e desfê-lo em dois... e a verdade é que venceu a batalha.
Não há meios caminhos para resolver um problema, só medidas certeiras e decididas...

Um beijo

Pipoca disse...

Não sou tão audaz como o Alexandre. Vou esparar que o tempo desgaste a corda e ele se desfaça, se entretanto não o conseguir desatar. Obrigada pelas tuas palavras Menino do Mar. Gosto que passes por cá. Um grande beijinho

Cookie disse...

Gostava de dar algum conselho sábio... mas não sei bem que te posso dizer. Concentra-te nas coisas boas da tua vida, concerteza há muitas. Um beijinho esperando q passe rapido!

C. disse...

São nós difíceis de desatar. Mas nada que o tempo, essencialmente o tempo, a nossa "garra" e força de vontade não resolvam. Acredita em ti, pensa mais em ti, faz mais por ti. Não sei sequer do que se trata .. mas acredito que tudo se resolverá, e que ultrapassarás tudo, e da melhor forma. (pelo menos assim espero)

Beijinho *

MissKitsch disse...

É que não sei mesmo :s

Reporter Da Vida disse...

Tenta resolver a causa do nó. Se não conseguires nem penses nele.

Pedro Almeida disse...

Cerveja Guiness.
Ou em alternativa mais nacional....Super Bock Stout ;-)

Mas concordo com o menino do mar, não o tentes desatar, corta-o ao meio.

Satine disse...

com o tempo.. =/

Marisa disse...

Ui, eu sou perita em nós no estômago, fico com um pela mais pequenina coisa. Mas ainda não aprendi como se desata. Normalmente passa com o tempo um com uma conversa que tem mesmo de ser tida.
Mas o desafio maior é aprender a não ficar com nós no estômago.

fuschia disse...

Eu fecho-me em casa a ver filmes e a pensar em coisas que me fazem feliz, como imaginar uma casinha ao pé do mar e ignoro que existe mundo e pessoas lá fora. Um dia de tratamento costuma resultar :)

disse...

Com o tempo...

tinha disse...

Há nós que só desaparecem com o desgaste que o tempo lhes causa. Não te esqueças é que a nossa vontade e atitudes ajudam, e muito, o trabalho do tempo.

Um beijinho de força (sei que estas pequenas coisas também ajudam :))

pfa disse...

A coragem de o cortar como o Alexandre o Grande. Mas quando essa falta, às vezes basta esperar e de repente alguém o corta por nós. E de repente estamos livres e sem amarras.
Mas acima de tudo não te detenhas a tentar perceber as voltas da corda.
Avança ignora as amarras e ficarão mais fracas. Se ainda assim te detiverem. Acredita que por mais apertado que ele esteja, a espada está sempre na tua mão. Beijo de quem também tem tido alguns nós mas que tenta não se deixar amarrar.

Lu.a disse...

Um jarro de sangria de champanhe costuma ajudar...

Marta disse...

Não desates. Corta rente. Recomeça. Até podes perder o fio à meada, mas qualquer coisa é melhor que ficares aí às voltas com um nó... Prá frente é que é Lisboa, mulher!

A Gata Christie disse...

Depende do que o causa... Mas nada como ser-se decidido para vencer desafios!

Muñeca disse...

Quando descobrires, manda-me a resposta!!!

Haagen Dazs ajuda um bocadinho, mas grudam nas ancas que é uma chatice! Não há nó de górdio que o arranque!!

Missy M. disse...

Muda de posição e olha com outra perspectiva. (Alivia o nó do estômago e clarifica a visão...)

Tilt disse...

- reconhecer a perda

- sofrer um bocadinho em local próprio e pessoal

- dar tempo

- estar com quem se preocupa com a Pipoca

- evitar tudo o que relembre o "nó"

- não cometer tolices

E é tudo. Eventualmente passa e a vida recomeça.
Também ajuda arranjar novos hobbies e fazer tudo aquilo para o qual parecia não haver tempo antes.

:)

Maria disse...

Ás vezes acontece..!
tb não sei o remédio para o desfazer..
bjnhoo.

Anónimo disse...

olha também eu tenho um no. e aunica maneira que encontrei para o tentar desatar foi pensar em duas coisas: as coisas estão más mas podiam ser bem piores; segundo, daqui por um ano ou dois este nó não vai passar de uma recordação má que se vai desvanecendo...