domingo, 3 de janeiro de 2010

A litle bit fucked up every now and then


Há dias em que olho para o espelho e pergunto quem é a mulher reflectida na imagem. Nem sempre sei bem quem está por baixo da minha pele. Há muitas mulheres dentro de mim, não é sempre a mesma que vence na guerrinha que fazem entre elas. Tento olhar-me para dentro, saber que mulher sou eu afinal. Não consigo chegar a grandes conclusões. Há dias em que sou a amiga, a que oferece o ombro e diz que "tens razão". Noutros consigo atirar a verdade crua, ser caústica. Há dias em que sou destemida, aventureira. Noutros sou bicho do mato, virada para dentro. Há dias em que sou um muro de lamentações, noutros não tenho gota de paciência. Posso dar por mim a adorar viver para o meu próprio umbigo mas depois há momentos em que me faz falta ter uns braços à volta da cintura. Posso dar oportunidades ou dar cabo de todas elas. Consigo ser amorosa ou uma besta.
Há dias em que uso a maquilhagem e as roupas para dar força à mulher que acordou cá dentro, noutros abafo-a por não simpatizar muito com ela. Há, no entanto, características e vincos de personalidade, que penso serem a minha essência, que não mudam, são comuns às gajas que tenho dentro de mim. A maquilhagem não os disfarça e a escolha de roupa é inglória. Posso nem sempre saber quem sou, mas quem é que sabe? "Everybody is a litle bit fucked up every now and then", e o melhor é aceitarmos isso, poupa-nos algumas lutas.

19 comentários:

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Reconheci-me imenso neste texto, sobretudo no final. Parabéns pela escrita!

Beijo meu ♥,

A Elite

Corset disse...

true.. são as hormonas, mulher! essas cabras!

Miss B. disse...

Cheguei aqui meio de pára-quedas e ao ler este texto, reconheci-me de tal forma que poderia, com toda a certeza, ter sido eu a escrevê-lo... Gostei mesmo!

Beijo

Bomboca do Amor disse...

Não poderia estar mais de acordo, mas acho que posso dizer que o universo feminino é isso mesmo. Beijinhos,
Bomboca do Amor

Nokas* disse...

Acho que todos nós temos realmente estes lados/pessoas num só corpo. Costumo dizer que tudo depende da forma como acordamos. Mas acho que não é mau de todo: vai dependendo de muita coisa, de como nos sentimos no dia anterior, se o astral está mais em baixo ou mais em alta.Mas lá no fundo, e como tu dizes, há traços comuns às diversas facetas que nos vao habitando. Desta forma o essencial nao se perde, está em cada um de nós e revela-se todos os dias.

kiss

Drama Queen disse...

Poupa-nos algumas lutas e dá-nos anos de vida! Indentifiquei-me muito com o teu texto!

Bjs

Marta disse...

há comprimidos para isso :)
agora a sério: somos todas um bocadinho assim e ainda bem. o importante é não nos trairmos.
beijo

Cátia disse...

Revejo-me no texto está muito bom. Parabens ;)

Porem tenho algumas Cátias que quero abulir de dentro de mim ou pelo menos dar-lhe menos espaço para se revelarem. Quero tornar-me uma pessoa melhor e para isso alguns defeitos terão de ficar para trás.

Mas outras sem dúvida que vão ficar sem elas não seria eu. =)

Vita C disse...

Vénia ao texto!! É mesmo isso, sem tirar nem pôr uma vírgula!

:)

Anónimo disse...

Acho que são sentimentos comuns a todas nós...

Sónia

Rosa Cueca disse...

Desconfio sempre de quem do alto de si diz saber quem é em todo o momento.
Desconfio das certezas absolutas, dos "eu nunca" e dos patamares.

Há sempre algo ou alguém que nos vai fazer duvidar e isso é o que dá piada - mesmo quando saímos a perder.

ajoaninha disse...

Como eu me revejo neste texto!!!
Clap clap clap!!!

Miss Complicações disse...

É o que dá ficares em casa a ver Bridget Jones…
Deixa-me só dizer que adoro essas gajas todas. Apesar de algumas delas serem odiosas, são genuínas.
Gosto daquela gaja com quem falamos e desabafamos pela madrugada fora, enquanto andamos de carro sem qualquer destino.
Gosto daquela gaja louca que, do alto dos seus sapatos altos, joga à bola em plena 24 de Julho.
Gosto daquela gaja que, segundo o proprietário de um tal bar, revela ter sido a causa da melhor noite que já existiu no tasco. Quando ela entra todos levantam os braços.
Gosto daquela gaja que atrai lésbicas, malucas mamas como eu atraio cromos.
Gosto daquela gaja que é uma grande profissional, ainda que por vezes tema pela vidinha dela…
Gosto daquela gaja que ri, solta gargalhadas é cordial e se a chateiam lança uma “caralhada”.
Gosto daquela gaja que é gira com ou sem maquilhagem e que tem um coração que é sempre do tamanho do mundo, mesmo quando o sorriso é bem pequenino.
Gosto daquela gaja que constrói em seu redor fortes de defesa, mas em que qualquer um entra se souber ler nos olhos.
Gosto daquela gaja besta e bruta que intimida qualquer um.

São uma carrada delas e acredita que todas elas são fantásticas porque são genuínas.

PS. A última que vi estava a ressacar e a ver o Diário de Bridget Jones. Coisa mais deprimente…

Pipoca dos Saltos Altos disse...

@+*A Elite in Paris*+,
Obrigada

@Corset,
Sim, malditas. O facto de não ser uma pessoa simples ajuda...

@Miss B,
Bem-vinda!

@Bomboca do Amor,
Somos uns seres complicados, somos humanos

@Nokas*,
Costumo acordar sempre mal-disposta, a as outras gajas cá dentro vão-se revelando ao longo do dia ;)

@Drama Queen,
Obrigada

@Marta,
:)

@Cátia,
Há sempre traços que queremos apagar, acho que isso, de ser melhor pessoa, vem com a idade, com a experiência de vida. Defeitos e lados mais negros todos temos. Beijinhos

@Vita C e Anónima e AJoaninha,
Obrigada, no fundo somos todos parecidos...


@Rosa Cueca,
Eu nunca digo "eu nunca", e sobre mim tenho sempre poucas certezas...

@Miss Complicações,
E de Pipoca com lágrima ao canto do olho? espero que gostes porque foi assim que fiquei....Beijossss (as lésbicas é que gostam de mim, nada a fazer)

S* disse...

Há sempre dias de merda...

Síndrome dos Trinta disse...

É apenas mais uma definição de Mulher... Somos tudo isso e muito mais, são as nossas contradições.

Síndrome dos Trinta disse...

É apenas mais uma definição de Mulher... Somos tudo isso e muito mais, são as nossas contradições.

Rita G. disse...

Nós mulheres somos muito difíceis de entender, identifiquei-e muito com o que escreveste. Passei-te a bola num desafio no meu blogue. Aparece em www.alentejoenovaiorque.blogspot.com

Pólo Norte disse...

Tenho dias que sou uma PUTA. Garanto-te.

E não são as hormonas. É o cabrão do mau feitio, mesmo.