quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Das paixões, a total angústia e os traços que afinal não distinguem sexos...E ainda bem.

O início de uma paixão é das fases mais angustiantes, apesar de salpicada a emoções que nos deixam com aquele sorriso parvo na cara, que se podem viver. É a fase de todas as dúvidas, dos receios, das inseguranças. Sabe bem? Sim sabe, mas que causa angústia é um facto. Uma total agonia, e até um puto de oito anos sabe disso.
Tal como um amigo me me dizia ontem, é a fase mais pateta que se vive. "É acordares e pensares nela, quereres saber se já acordou, se dormiu bem, se já vai a caminho do trabalho. É ouvires-lhe a voz como forma de iniciares o dia. É a fase em que te sentes inseguro. É ires na rua com ela e meteres os braços para baixo e pensares: assim se ela quiser pode dar-me a mão, está aqui a jeito. Será que me vai dar a mão na rua? Se sim é porque gosta de mim?".
Por muito que estas perguntas possam parecer ridículas todos as fazemos para dentro. "É quereres falar com ela a toda a hora. É angustiares porque lhe ligaste e ela não atende, mesmo que só tenham passado cinco minutos. Porque é que ela não ligou ainda de volta?".
Depois de o ouvir falar da rapariga por quem está apaixonado, acabou por me confessar que se sente muito inseguro:
"As coisas são complicadas. Isto está a ser demais, e eu não gosto de coisas complicadas..." Perguntei-lhe se ela sabia o que ele sentia."Sabe, e até já estivemos juntos várias vezes..."
Eu que sou um desastre com pernas, e meto sempre os pés pelas mãos nestas coisas, limitei-me a deixá-lo falar.
"As pessoas se gostam gostam", continuava ele.Uma vez que já estiveram juntos várias vezes e que parece que a situação nem ata nem desata atirei-lhe a pergunta: Mas ela tem alguém? "Não mas ainda não esqueceu o ex namorado. Uma história mal terminada".
Foi aqui que me calei. Se por uma lado acho que as histórias mal terminadas não deviam ter espaço na vida de ninguém, por muito que custe ter aquela conversa final, a de rebentar a corda para depois de seguir em frente sem amarras, por outro acho que quando é mesmo paixão o passado perde na balança. E antes de me passar pela cabeça dizer-lhe o que estava a pensar, disse-o ele, com palavras que poderiam ser as minhas, as que tinha para lhe dar.
"Acho que quando alguém mexe o suficiente...o passado enterra-se. Ou te apaixonas ou não, é simples. Apaixonas-te do nada sem data marcada, não precisas de x período de tempo para esquecer ninguém, porque uma pessoa nova invade automaticamente esse lugar. Tenho a minha teoria: se gostas de alguém, se mexe assim tanto contigo, tudo o resto passa para segundo plano. E eu gosto de paixões fortes, que surgem do nada e apagam passados, as que te obrigam a dar passos largos sem olhar para trás. Daquelas em que fechas os olhos, apesar de estares cheio de medo, e atiras-te, por querer. Só assim as coisas fazem sentido para mim. Queima-se a paixão enquanto há madeira para arder e espera-se que antes de sobrarem só cinzas tenha nascido Amor".

E sim, é o que todos esperamos, o que queremos.
Espero que ele não se magoe, espero que a paixão seja correspondida, porque sei que é daquelas pessoas que se entrega, sem reservas. E concordo com ele, há que viver intensamente as paixões, sem amarras, de cabeça livre, por querer, por vontade. E acima de tudo, mostrar isso à outra pessoa. Que a queremos, ali, agora, amanhã. E é por isto que sei que apesar de muitas vezes afirmarmos que somos mais emocionais que eles, mais inseguras, mais complicadas, há homens que tal como nós vivem a fundo a angústia do início de uma paixão, naquelas semanas em que não fazemos ideia do que fazer, o que dizer. Se avançamos ou não, se nos damos. E são estes os homens que valem a pena. Os que sabem chorar, os que não têm problemas em dizer em voz alta o que sentem, os que fazem questão de em gestos nos mostrar o que significamos. Os que não escondem emoções. Os que mostram alguma fragilidade quando a sentem. Os que pegam no telefone e ligam só porque nos querem ouvir a voz. Só porque sim. Por querer. Por vontade. E a vida é feita disto, de emoções, de paixões, de sonhos, de partilhas, ainda que com rasgos de angústia de vez em quando. E no fim esperamos olhar para trás e dizer que sim, que valeu a pena.

32 comentários:

Prezado disse...

Há ali uma frase que me fez lembrar algo de grande sabedoria que vi pintado num barco, em Aveiro, ha muitos anos:

"o amor é como o fósforo, só dura enquanto há pau."

Quanto aos homens com fragilidades à vista, a altura não foi nos 90's? É por isso que os gajos andam confusos e atados.

Miss Complicações disse...

Aiiii como isso andaaaaa :)
Temos que falar... e partilhar sorrisos parvos

Este Blogue precisa de um nome disse...

Chorei ao ler este post...

Segredo Cor de Rosa disse...

E agora vens aqui limpar as minhas lágrimas, não é?
Pois é, eu não mudava uma virgula neste teu texto. Ainda ontem te falei disto, principalmente quando é forte, demasiado sentido, apaga tudo.
Eu estou assim neste momento, num misto entre o flutuar quando o vejo, quando me sorri e uma angústia danada por não o ter. E o que posso fazer?
O meu coração pede-me que não dê ouvidos ao meu cérebro e me atire de cabeça. A minha cabecinha sabe bem o que já penei e tenta controlar-me os instintos. Não está nada fácil. E as inseguranças pesam 98% em mim e por isso não faço nada. Sinto que não estou à altura, que jamais teria olhos para mim, e todas as outras coisas que sabes.

O que é certo é que ando gelada por dentro. Tremo e simplesmente fico tímida quando o vejo. Pouco ou nada digo.
É assim que tenho vivido nos últimos dois meses.

Parabéns pela forma como escreveste isto. Posso roubar?
É o post perfeito para colocar hoje no meu blog.
Um beijo enorme e obrigado por me conseguires compreender sempre.
E nunca deixares de ter uma palavra para me dar.

Adoro-te.

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Prezado, isso do pau não é mais para a paixã? É o que diz o Rui Veloso na música... :)

Miss,
Só me envergonhas tu...
Partilhar sorrisos parvos??? Boa!

@Este Blogue precisa de um nome...
Querem ver que tenho que ir ao Porto mais cedo do que estava à espera? Beijos Prima adoptiva :)

@Segredo Cor de Rosa,
Rouba à vontade... mi casa su casa.
Temos que ir beber um chá garota, não te quero gelada por dentro. O suposto das paixões é aquecerem pelo fogo, não pelo gelo. Beijinhos

Tiago disse...

Os homens não são assim tão diferentes das mulheres, apesar de ambos, à força, quererem afastar essa ideia.

Tita disse...

Para mim as paixões também tem que ser assim fortes, marcantes.
Se não nos causarem um turbilhão de sentimentos então não vale a pena.
E sim concordo, deixa arder a paixão sem pensar no que vem depois, se restarem apenas cinzas ou um grande amor não importa.
O que importa é vivê-la, com entrega e sem medo.

Salvador disse...

Muito bom o texto, Pipoca.
Descreveu na perfeição (na 1ª parte) o tal Contentamento Descontente.
E sei tão bem como você qual vai ser o desfecho da relação que o seu Amigo mantém... infelizmente ela faz a Fuga para a frente e o passado dela acabará por pesar.
Quanto ao Amor, é (tb) como diz: aparece, de repente, quando menos se espera, e é sentido da mesma forma por Homem ou Mulher

Anónimo disse...

Gostei muito! Que bonitos pensamentos! Gostei principalmente da expressão "Paixões fortes, que surgem do nada e apagam passados"...
Há muito tempo que não sinto uma dessas...e sei que não há melhor sensação nem nada que nos faça sentirmo-nos mais vivos!

P.S - De certeza que foi por distracção, mas calculo que queira dizer "afirmarmos" no lugar de afirmar-mos"... ;)

Simplesmente EU disse...

Olá,
Só para dizer que adorei o teu blog, e mais precisamente este post...acho que estava a precisar de ler algo do género. Obrigado!

Continua assim!

Beijocas.
Celina Silva

Pipoca dos Saltos Altos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvia disse...

Muito bem dito. Pois é de facto assim. Quando há paixão damos a mão, saltamos para o colo, entramos na fase do "desliga vá. Não, desliga tu. Contamos até 3 ok?". Fase parva, que adoramos criticar nos outros mas que adoramos ainda mais passar por ela. E que quando é reciproca não deixa margem para duvidas. A haver duvidas, deixa uma certeza.

Anónimo disse...

Olá, nem sempre aqui venho mas hoje valeu a pena.
Susana

Menina do Vestido Verde disse...

Essa fase é a melhor dos relacionamento. Faz-nos ficar lamechas até mais não e até mesmo essa insegurança, acaba por ser recompensada quando achamos somos só nós a sentir essas coisas e de repente, qual luz ao fundo do túnel, a outra pessoa corresponde!

Ricardo disse...

Pipoca, começo a ler o teu post e fico a pensar "quem me dera ser um puto de 8 anos", mais sábio do que tudo o que a idade nos ensina. Mas depois constato que não, vem aí piromania da pior, porque quando a madeira começa a arder (mesmo a sério) só queremos "fugir das cinzas" e somos frágeis, nós os homens, porque não conseguimos deixar de correr atrás do fogo. Enfim, é uma verdadeira chatice...

Inês e Mafalda disse...

Lindo. Lindo. Lindo. Lindo. Sem tirar nem pôr :) adorei.

beijinhos

Anónimo disse...

Revejo-me completamente nesta história. É bom estarmos apaixonados.... :)

S* disse...

Quer-me parecer que a Pipoca encontrou uma panela que a faz saltar de emoção... :D

Rosa Cueca disse...

Adoro a ironia do destino. Antes riam-se vocês, eu, para além de me rir agora, ainda partilho uns sorrisos desses ;) *

Daniela Alexandra disse...

Adorei a maneira como descreves-te o inicio de uma paixão ! :') É tão verdade, e segundo consta é mesmo algo universal.

Um grande beijo ! **

Pólo Norte disse...

Passou o dói-dói? :D

Mak, o Mau disse...

Estou a ver que há mais cartolas por aí, mesmo que com cores diferentes ;)

margarida disse...

Isto podia ter sido escrito por (para) mim...

FUSCHIA disse...

ADOREI !

Stiletto disse...

É são realmente esses que valem a pena... os que nos fazem sentir que o amanhã não importa. Porque hoje existe. :-)

Joana disse...

Adoro a forma como escreves...

Petra Pink disse...

o inicio da paixão... a fase cor-de-rosa como lhe costumam chamar é tão maravilhosa como desgastante sim é.
O amor pragmático, mais estável, angustia-nos menos, mas..... o que interessa é que ambas as fases nos façam sentir felizes e completas. bjo

Pólo Norte disse...

http://quadripolaridades2.blogspot.com/2010/08/blogovisao-2010-musica-n-1-desflorada.html

Marlucinha disse...

Sem bem que é assim.. é preciso é mandarmo-nos de cabeça! Jogadas ALL IN! Mas às vezes mete cá um medo... ai mete mete...

Alex disse...

Adorei o post. Marry me!

coração sem dono disse...

Fodass...espetacúlo
nunca tinha pensado nessas merdas, mas é verdade

coração sem dona disse...

Fodass...espetacúlo
nunca tinha pensado nessas merdas, mas é verdade