terça-feira, 5 de junho de 2012

(...)

"Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre mesmo quando eu digo convicto que nada é para sempre."
(Gabriel García Márquez)

6 comentários:

Maria Bem Me Quer disse...

Posso roubar? Brutal! São estas frases que dão todo o sentido aos dias. Adoro-te Miuda. Beijo

Pipoca dos Saltos Altos disse...

:)rouba. Beijinhos

Xerazade disse...

Os sentimentos não devem mesmo vir em prestações!

Margarida disse...

Gosto muito! :)

GuessWho disse...

Por mais "estórias" que preencham o nosso passado, interessa - cada vez mais isto faz sentido- o presente. E o amor, o gostar, esse turbilhão de sentimentos e emoções tem que ser vividos por inteiro. Sem medos nem regressos ao passado pois cada história é uma história e hoje temos que sentir e viver o hoje. Eu também só sei gostar e estar ou no 8 ou 80 pois nestas coisas do coração não podem existir cinzentos e meio gás. É para abraçar, toma lá um abraço; apetece beijar e dizer adoro-te então que se soltem os lábios!

Chicolaiev disse...

Porque... nada é para sempre!!